Páginas

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

"Jornal da Gazeta" perde força com demissões



Olá, internautas

Uma triste notícia abalou os bastidores do jornalismo da TV Gazeta. Dezenas de funcionários do núcleo foram demitidos. “A Fundação Cásper Líbero comunica que está promovendo uma reestruturação interna com o objetivo de equalizar suas despesas à realidade das receitas do momento e, com isso, preservar seu equilíbrio financeiro e manter os resultados econômicos administráveis”, informou o comunicado oficial encaminhado pela assessoria.

Os boletins jornalísticos exibidos durante os programas femininos e o Jornal da Gazeta Edição das Dez saíram do ar, Porém, o mais grave ocorreu no “Jornal da Gazeta”. Neste espaço, já destacamos o telejornal como um dos melhores da TV aberta. O noticiário, até então comandado por Rodolpho Gamberini e Stella Gontijo, reunia um time diversificado de comentaristas com diferentes matizes.

O “JG” foi sacrificado. As interessantes reportagens desapareceram. Na primeira parte do telejornal, a apresentadora Luciana Guimarães, que agora comanda sozinha o noticiário, lê as informações com as imagens que surgem avulsas no vídeo. O competente Luciano Penteado é um dos sobreviventes. O repórter aparece atualmente em links. Uma ou duas reportagens produzidas na rua, no máximo, agora vão ao ar.

O telejornal foi tomado pela entrevista de Maria Lydia. A veterana jornalista comanda entrevistas, especialmente sobre o universo político, por mais de 20 minutos. Em um total de 50 minutos do “Jornal da Gazeta”. Antes, mal passava de 10 minutos.

As matérias exibidas no “Gazeta Esportiva” ganham reprise no “JG”. O editor de esportes, Celso Cardoso, não aparece mais no noticiário.

E para piorar a situação, a faixa das 20 horas voltou para os domínios da Igreja Universal do Reino de Deus.

O telespectador perdeu uma de suas melhores opções em telejornalismo. Triste.

Fabio Maksymczuk

4 comentários:

  1. não há desculpa já que o motivo mesmo foi a ampliação da atuaçao de uma religiao preconceituosa e catequizante. infelizmente não há nenhuma legislação que impeça algumas religiões de pregarem na tv aberta principalmente o preconceito.

    ResponderExcluir
  2. Oi Fabio, tudo bem? Duas notícias tristes: jornalistas demitidos e igreja voltando a ganhar espaço no horário nobre. Não é por acaso que nossa sociedade está tão doente como está. Sintomático. Abraço! www.tele-visao.com

    ResponderExcluir