Páginas

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Silvia Abravanel simboliza erro do SBT


Olá, internautas

O SBT sempre se apresentou como uma emissora que privilegiava comunicadores populares em suas atrações de entretenimento. O mestre Silvio Santos dividia o domingo com Gugu Liberato. Depois, Celso Portiolli. Serginho Groisman comandava as tardes com o seu “Programa Livre”. Ratinho apresenta há anos o seu programa no horário nobre. Hebe Camargo liderava a segunda-feira.  O talento sobressaía.  

Nos infantis, idem. Mara Maravilha. Mariane. Simony. Sergio Mallandro. Depois, Eliana estreou o “Bom Dia & Cia” em 1993. Atração que permanece até hoje na programação. Yudi e Priscilla fizeram história ao apresentarem o infantojuvenil.

De uns tempos para cá, o SBT deixou de garimpar comunicadores e apresentadores. Silvio Santos resolveu escalar familiares para ocuparem as vagas à frente das câmeras. Receita caseira. Foi assim com Patricia Abravanel, Rebeca Abravanel e agora Tiago Abravanel.  

Mas o fenômeno já vinha antes, na década anterior, com Silvia Abravanel. A filha número 2, que jamais se notabilizou por ter carisma e simpatia no vídeo, surgiu no famigerado “Programa Cor de Rosa” de triste lembrança para os telespectadores. Já ali, Silvia demonstrava suas limitações.  
Eis que Silvio Santos resolveu escalá-la novamente à frente das câmeras no “Bom Dia & Cia”, após restrições judiciais com crianças na apresentação da atração. Silvia demonstra as mesmas limitações de anos atrás. Não envolve o público.

Para piorar a situação, nesta quarta-feira (19/02), a “filha do dono” resolveu intimidar os funcionários do SBT. Sem constrangimento algum. A “apresentadora” não comandou o infantojuvenil na última segunda-feira (17/02). Ela convocou três funcionários da atração a ficarem em frente às câmeras para indagá-los sobre a sua ausência.

“Vocês ficaram que nem idiotas andando pelo corredor? Só para saber. A justificativa tá dada e é isso que tem. Se metam na vida de outra pessoa”, disparou a morena.  

Postura arrogante que não combina como uma referência ao público infantojuvenil. O SBT deveria apostar em novos comunicadores jovens. Silvia pode ser uma boa produtora ou diretora. Profissional dos bastidores. Porém, não cumpre sua missão, desde sempre, de ser uma líder carismática e simpática aos telespectadores mirins. O triste episódio foi a gota d’água.

Fabio Maksymczuk

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

"Hair - o reality dos cabelos" segue rastro de correlatos


Olá, internautas

Na última semana, o “Hoje em Dia” entrou em uma nova fase. Dentro do pacote das novidades, entrou “Hair – o reality dos cabelos” sob comando de Ana Hickmann. A disputa que elegerá o melhor cabeleireiro do Brasil terá o julgamento de Celso Kamura e de uma celebridade convidada a cada sexta-feira.

“Hair”, formato criado pela BBC e distribuído pela BBC Studios, com produção da Endemol Shine Brasil, rememora outros do filão. Neste primeiro episódio, logo no início, cenas de São Paulo foram levadas ao ar com os participantes rumo à competição. O momento relembrou a entrada de “O Aprendiz”.

Ao invés de um sofisticado salão de beleza, os desafiantes surgem em uma espécie de instalação rústica com tijolos ao fundo. O cenário evoca o “Famílias Frente a Frente – FFF Brasil”, de Tiago Abravanel, que também traz os tijolos revestidos nas paredes.

Sai confeiteiro. Entra cabelereiro. Sai cozinheiro. Entra “hair stylist”. O tempo já está no fim. Para tudo. Larguem as tesouras. O roteiro é o mesmo do “MasterChef” ou “Bake Off Brasil”. Ana Hickmann anuncia os piores do dia, igual a Nadja Haddad ou Ana Paula Padrão. Clima de suspense. Quem sai? Quem fica? Eles estão na “ponta da tesoura”. Mção na massa, ou melhor, força na peruca...

Há até um imigrante entre os 10 selecionados. Shadi Shridi nasceu no Líbano e já vive no Brasil há alguns anos. Igual a Kaysar no “Big Brother Brasil” ou Jiang e Yuko no “MasterChef”.

“Hair – o reality dos cabelos” repete o formato dos correlatos. Seria necessário criar uma nova atmosfera para imprimir uma identidade própria à nova aposta do “Hoje em Dia”.

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Falta de conflito marca início do "Troca de Esposas 2"


Olá, internautas

A segunda temporada do “Troca de Esposas” já estreou na Record TV. O reality, que alcançou ótimo desempenho no ano passado, ganhou um novo dia de exibição. Agora, ocupa as quartas-feiras, após a reprise de “O Rico e Lázaro”.

Porém, nestes dois primeiros episódios, a falta de conflitos trouxe um ar opaco. Desde o “Troca de Família”, o mote da atração é acompanhar famílias totalmente diferentes em contraste.

Na edição mais recente, Rafael Ilha reapareceu em mais um reality. O “ex-polegar”  já surgiu no “Power Couple Brasil”, “A Fazenda”, “Canta Comigo” e agora no “Troca de Esposas”. Ele trocou de lugar com um marido que gosta de dançar, mas não é afeito a atividades domésticas.

O episódio rolou naturalmente, mas sem grandes dilemas. Um único fato chamou a atenção. A filha do casal que mora em Itapacerica da Serra, já com 9 anos, ainda dormia, todos os dias, com os pais na mesma cama. Rafael resolveu tal situação.   

Na estreia, a esposa do radialista Flavio Fuzil, da Metropolitana FM, trocou de casa com uma “nutricionista de celebridades”. O foco seria a diferença de estilo de vida. Fuzil é um fumante inveterado. Porém, a troca não provocou grandes dilemas.

A Record TV acertou ao trazer o reality para as noites das quartas-feiras. É um dia que escapa do confronto com o “Big Brother Brasil 20”. A TV Globo exibe jogos de futebol. Agora, é acompanhar os outros episódios que podem trazer o espírito do reality.

Fabio Maksymczuk  

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Gugu protagoniza triste "novela" após morte


Olá, internautas

Augusto Liberato é um ícone da televisão brasileira. Era o sucessor natural de Silvio Santos na programação dominical. Gugu sempre apareceu como um elemento da família dos telespectadores. Sua morte abrupta chocou os brasileiros.

Porém, agora o público fica ainda mais chocado com o noticiário que surge após a sua morte. A disputa pela herança de 1 bilhão de reais é alvo de conflitos entre a ex-companheira Rose Miriam di Matteo e os familiares do apresentador.

A cada dia, um capítulo da disputa cai no colo do telespectador. Já se transformou em uma triste novela. Filho de Gugu “expulsa” tio de mansão. Mãe de Gugu renega ex-companheira. Rose conquista pensão de 100 mil reais. Justiça ordena redução da pensão. Filho de Gugu passa Natal longe da mãe. Foto mostra companheiro de Gugu. Gugu acusado de assédio sexual.

Gugu era gay? As capas da revista Caras camuflavam a verdade? Rose Miriam processará jornalista que “desonra a imagem de Gugu após insinuações da homossexualidade”. Filhos ficam contra mãe. Todas manchetes que pululam na internet e em programas que focam a vida das celebridades.
A briga pela herança agora deságua em acusações sérias que teriam ocorrido nos bastidores. Gugu não está entre nós para se defender.

Triste. Tudo muito triste.

Fabio Maksymczuk  

domingo, 9 de fevereiro de 2020

Discurso bolsonarista encontra eco no "Alerta Nacional"


Olá, internautas

“Alerta Nacional” é a nova aposta da RedeTV! no início do horário nobre. Com a entrada de Sikera Jr na programação da emissora de Dallevo e Carvalho, “Tricotando” foi remanejado para a faixa do meio-dia. “Papo de Bola” passou para 8h45. Sobrou para Olga Bongiovanni que saiu do canal.

O discurso bolsonarista encontra eco no “Alerta Nacional”. Sikera adota retórica semelhante ao presidente. Nesta semana, por exemplo, detonou Caetano Veloso que defendeu a descriminalização de todas as drogas no Brasil.

O polêmico apresentador enfatizou que as universidades federais são verdadeiras cracolândias e espera que o governo Bolsonaro promova mudanças drásticas nas reitorias.

Sikera Jr questionou se o repórter do programa “queima ou não queima”. O sonoplasta soltou o áudio “queima”. Logo em seguida, o comunicador falou “que a mãe dele não sabe”. O apresentador revelou que deseja que falem dele, mesmo que mal para o programa engrenar em todo o País. "Podem falar que sou misógino, homofóbico", disparou.

Sikera ainda detonou a imprensa que, para ele, em muitas oportunidades, protege os miliantes. “A imprensa que adora fumar maconha de bandido.... A imprensa que cheira pó”, soltou sem constrangimento algum.

“Alerta Nacional” traz uma sucessão de reportagens sobre criminalidade em todo o País, especialmente na Região Norte. A atração é gravada em Manaus. Edie Polo é o repórter de São Paulo. Já Emerson Tchalian cobre os acontecimentos em Fortaleza. Outros repórteres ficam localizados em outras cidades.

A nova aposta da RedeTV! lembra o “190 Urgente”, exibido na CNT-Gazeta. Porém, Sikera não possui o mesmo magnetismo de Ratinho. Sem o mesmo carisma no vídeo. A sua postura verborrágica contrasta com a “animosidade” nos merchandisings. Tal elemento serviu como base para o humorista Jorge Beviláqua que satirizava os apresentadores do jornalismo policial no “Jardim Urgente”, quadro de sucesso do “Tá no Ar: a TV na TV”.

Sikera Jr aposta em um discurso politicamente incorreto para angariar repercussão. O bolsonarismo encontra um representante na mídia televisiva.

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

FABIOTV na Record TV – Novo "Hoje em Dia"


Olá, internautas

Nesta sexta-feira (07/02), estive na Record TV para acompanhar a coletiva de imprensa do “Hoje em Dia” que entrará em uma nova fase a partir desta segunda-feira (10/02). Inicialmente, os jornalistas convidados almoçaram na sede da emissora. Ambiente amplo.

Em seguida, todos foram direcionados ao Estúdio G onde fica o novo cenário da revista eletrônica. Cesar Filho, Ana Hickmann, Ticiane Pinheiro e Renata Alves recepcionaram os colegas da imprensa. Os colaboradores da atração também estavam presentes, como Celso Russomanno, Antônio Sproesser, Ronaldo Esper e Jean Paulo Campos.

Tive a oportunidade de conversar com o “ex-carrossel”. Ele realizará sonhos dos telespectadores que passarão por um desafio. Conversei sobre o Domingo Show. Ele disse que só participou de uma edição em 2015. Acreditava que isso tinha sido há dois anos com a mesma premissa desse novo desafio profissional.

Restaurante da Record TV

Conversei com a apresentadora Ana Hickmann. Realmente é uma profissional preparadíssima para lidar com a imprensa. Linda pessoalmente (igual na TV). Destacou o seu reality que elegerá o melhor cabeleireiro do Brasil que sempre será exibido às sextas-feiras. Oito episódios com final ao vivo. O público decidirá o vencedor.

Cesar Filho comandará dois quadros: Deu o que falar (fatos de repercussão que estão esquecidos pela mídia) e Eu nasci duas vezes (sobrevivência).  Durante o bate-papo com os jornalistas, o apresentador lamentou a exposição negativa que ocorre com a imagem de Augusto Liberato. Disse que Gugu era um homem generoso e ajudou muitas pessoas.  

Já Renata apresentará os quadros Transformação da face e Personagens do Brasil. Ticiane Pinheiro ficará responsável pelos quadros Truque das coisas (como se faz um batom? Ou como se faz um sorvete?) e Desafio das apresentadoras. Segundo Tici, Ana é a mais aventureira do trio.  


O grande destaque da coletiva ficou por conta da exibição do programa aos domingos. “Domingo é um dia nobre. É um desafio profissional”, defendeu Cesar. “Eu encaro como um sucesso. Abro parte da minha vida pessoal para trabalhar, mas isso é um sonho. É um ambiente gostoso. Chego em casa mais feliz”, respondeu Ticiane. “As oportunidades aparecem. Tem que aproveitar. A gente tem que jogar de peito aberto. Temos que cumprir o nosso papel”, ressaltou Ana sobre a entrada na guerra dominical. “É muito orgulho. Ficamos lisonjeados”, cravou Renata.

Cesar Filho ainda destacou que o “Hoje em Dia” encontrará um novo público que trabalha durante a semana. Irá ao ar das 9 horas às 11 horas.

Nesta nova fase, “Hoje em Dia”, que comemora 15 anos no ar em 2020, ganhará um novo cenário. Com o novo ambiente, uma plateia surgirá em algumas oportunidades.


Agradeço o convite da assessoria de comunicação da Record TV. É um prazer conhecer os bastidores da nossa televisão.

Fabio Maksymczuk  

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Petrix sai queimado do "BBB20"


Olá, internautas

Nesta terça-feira (04/02), o “BBB20” viveu o seu auge até aqui. O reality da TV Globo conquista repercussão entre os telespectadores graças ao comportamento de alguns “brothers” do elenco masculino da “casa mais vigiada do Brasil”.

Petrix Barbosa foi eliminado com expressiva taxa de rejeição. O ginasta saiu com 80,2% dos votos em um paredão quádruplo. A situação poderia ter sido pior, caso o também rejeitado Hadson não integrasse o “paredão”.

Quando Petrix entrou no reality, a “galera” ficou entusiasmada pelo corpo sarado do rapaz. O visual sobrepõe a essência em tempos de redes sociais. Na realidade, ele demonstrou ser uma pessoa narcisista, presunçosa, além de desejar seduzir as pessoas ao seu redor. O reality desnudou o ser humano.

Acusações de assédio mancharam a imagem do ginasta em sua passagem pelo “BBB20”. O comportamento com Bianca e Flayslane incendiaram as redes sociais que pediram até mesmo sua expulsão.  

Nesta quarta-feira (05/02), durante o “Mais Você”, Patricia Poeta e Fabricio Battaglini passaram a impressão de estarem perdidos durante a entrevista com Petrix. “Passaram o pano” diante das acusações. O ginasta simplesmente falou que desconhece o que aconteceu “aqui do lado de fora” e ainda tomará ciência. Renata, que perdeu a disputa para Ivy na Casa do Vidro, cumpriu o seu papel e rebateu o rapaz.

O machismo marca, até aqui, o enredo do reality. Hadson, Felipe Prior e Lucas já encarnam o papel de vilões desta edição. Babu, Pyong e Guilherme escapam da pecha. Com a estratégia de seduzir as sisters comprometidas, o trio também sairá queimado.

A aposta na Casa de Vidro pode ter um efeito colateral grave. Por um lado, é positivo ao trazer mais dois anônimos. Passam para 11. Por outro lado, as informações trazidas por Ivy e Daniel nesta madrugada travarão o jogo. Os homens ficarão encurralados. O reality pode perder o dinamismo.
O embate entre homens e mulheres deverá permear a edição nas próximas semanas. “BBB20” tem o mérito de trazer discussões sobre a masculinidade tóxica.

Fabio Maksymczuk

domingo, 2 de fevereiro de 2020

"Salve-se Quem Puder" estreia com receita clássica do horário


Olá, internautas

Na última segunda-feira (27/01), a TV Globo estreou “Salve-se Quem Puder”. A nova novela das sete, criada e escrita por Daniel Ortiz, com a colaboração de Flavia Bessone, Nilton Braga, Victor Atherino e Pedro Neschling, aposta na receita clássica da faixa.

A nova produção da emissora platinada, que conta com a direção artística de Fred Mayrink, com direção geral de Marcelo Travesso, e direção de Alexandre Klemperer, João Boltshauser, Hugo de Sousa e Bia Coelho, sai do drama de “Bom Sucesso” e volta para a comédia, filão típico do horário.

Kyra Romantini, interpretada por Vitória Strada, é uma mocinha totalmente atrapalhada. Carregada nas tintas propositalmente. Quase derrubou um avião ao disparar uma arma pela aeronave e não no bandido. Já Alexia Máximo (Deborah Secco) sonha em ser uma atriz de sucesso da TV Globo. Luna Furtado (Juliana Paiva) é a típica heroína apaixonada. O trio se esbarra em Cancún, no México. As três presenciam o assassinato de um juiz que combatia a corrupção no Brasil.

Para salvar as suas vidas, entram no programa de proteção à testemunha. Ganham novas identidades em terras tupiniquins e vão para uma cidade do interior paulista. É neste ponto que a novela terminou no sábado (01/02).

Nestes primeiros capítulos, o folhetim focou nas três protagonistas. Um acerto. O núcleo central é que, de fato, deveria chamar a atenção do telespectador. As histórias paralelas servem, teoricamente, para drenar as protagonistas. O roteiro de “Salve-Se Quem Puder” aposta em um trio de mulheres. O mesmo acontece com “Amor de Mãe” com Lurdes (Regina Casé), Thelma (Adriana Esteves) e Vitória (Tais Araújo).

Na semana de estreia, José Condessa, que interpreta o mexicano Juan, sobressaiu. A TV Globo acertou ao apostar no ator português. Traz ar novo para o elenco da emissora.

“Salve-se Quem Puder”, até aqui, trouxe um texto leve. Descontraído. Sem grandes “pretensões filosóficas”. Elementos que também marcavam “Verão 90”.  É um momento para o telespectador relaxar em frente à tela. Diante dessa proposta, começou bem.

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

SBT acerta com produção da Telemundo


Olá, internautas

Nesta semana, o SBT inovou na faixa das “Novelas da Tarde”. A emissora escalou “Betty, A Feia em Nova York”. A história já é velha conhecida dos brasileiros desde 2003 quando a RedeTV! colocou no ar a novela colombiana original.

O próprio SBT já exibiu “A Feia Mais Bela”. Depois, a Record TV produziu “Bela, a Feia” e reprisou a trama recentemente com relativo sucesso. A série “Ugly Betty” já passou na programação do próprio SBT. O autor Fernando Gaitán, que faleceu no ano passado, viu sua ideia brotar em diferentes partes do mundo.

A emissora de Silvio Santos resolveu apostar, de forma inédita, em uma produção da Telemundo, canal hispano transmitido nos Estados Unidos. A Televisa passa por um momento de transição em suas telenovelas. O canal paulista deve enfrentar dificuldades para encontrar alguma obra que possa engrenar em terras tupiniquins.

Por isso mesmo, é louvável buscar outros mercados. “Betty, A Feia em Nova York” passa a imagem de ser uma produção norte-americana com atores latinos. Há uma maior preocupação com a fotografia e produção. Marcos da cidade de Nova York estouram na tela.

“Betty, A Feia em Nova York” segue o roteiro de Gaitán. Porém, os adaptadores modernizaram a história, principalmente com a inserção da tecnologia. Smartphones surgem nas cenas. Betty (Elyfer Torres) até viralizou na rede social com um vídeo onde aparece derrubando uma modelo em um desfile.

A dublagem é outro ponto de inovação. Novas vozes aparecem. Porém, isso teve um efeito colateral. Aarón Diaz, que ficou conhecido pelos brasileiros ao interpretar Mariano em “Teresa”, surge com uma voz diferente em “Betty, A Feia em Nova York”. Ele vive Ricardo Calderón, melhor amigo de Armando Mendoza (Erick Elias).

A nova aposta do SBT já registrou 8 pontos de média nestes capítulos iniciais, o que sinaliza um retorno positivo do público da emissora. Veremos se isso se mantém até o último capítulo.

Fabio Maksymczuk

quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

"Fora de Hora" segue rastro de correlatos na TV Globo


Olá, internautas

A TV Globo aposta em mais um programa humorístico em sua programação. O filão encontra-se em baixa na TV aberta. Chegou a vez do “Fora de Hora” que substitui “Tá no Ar: a TV na TV” na faixa pós-BBB às terças-feiras.

Paulo Vieira e Renata Gaspar comandam o “Fora de Hora”. Os dois “apresentadores” leem as notícias que ganham uma abordagem humorística.

 “Fora de Hora” segue o mesmo estilo do “Zorra” e até do “Tá no Ar”. Muitos humoristas são os mesmos. Apesar desta constatação, Marcelo Adnet é a grande estrela da nova aposta da emissora platinada. Os melhores momentos surgem em sua participação.

Nesta terça-feira (28/01), por exemplo, Adnet resgatou o índio Obirajara do “Tá no Ar”, após a afirmação do presidente Jair Bolsonaro: “Cada vez mais, o índio é um ser humano igual a nós”. Boas tiradas. Adnet também parodiou o ministro Sergio Moro e suas declarações no “Roda Viva”.

A edição dos quadros segue a mesma diretriz dos correlatos do canal. Esquetes rápidas. O texto é similar.

“Fora de Hora” poderia ter apostado em novos rostos. Novos redatores. Ganhar uma identidade própria.  

Fabio Maksymczuk

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

TV Gazeta comemora 50 anos em baixa


Olá, internautas

Neste sábado (25/01), a TV Gazeta chegou aos 50 anos. Importante marco para a emissora da Fundação Cásper Líbero.

No decorrer desse cinquentenário, a TV Gazeta deixou sua marca para os telespectadores. De 2000 para cá, a programação se baseia em três pilares: programas femininos, jornalismo e esporte. Mulheres, Gazeta Esportiva e Mesa Redonda permanecem como as principais atrações.

Porém, a emissora vive um momento preocupante. Demissões de dezenas de profissionais marcam a atual fase. O jornalismo foi o setor mais atingido.  “Jornal da Gazeta” ficou desidratado com o corte de funcionários.

Não há investimento na programação. Na realidade, a grade vai das 10 horas até 20 horas, ou seja, apenas 10 horas. Ronnie Von foi demitido. “Todo Seu”, que sempre serviu como uma boa opção, saiu da grade após longos anos. Para tapar o buraco, escalaram reprises do “Você Bonita” e “Cozinha Amiga”. Agora, nem isso. A TV Gazeta alugou a faixa para a Ultrafarma.

Apostam em produções de vendas, como Gazeta Shopping. Alugam horários para a Igreja Universal. Grade anêmica.

A TV Gazeta poderia servir como um celeiro de novos talentos. A interessante conexão com a Faculdade Cásper Líbero sumiu da grade. Aboliram o “Núcleo da Criação”.

Na última sexta-feira (24/01), Regina Volpato festejou os 50 anos no programa “Mulheres”. A apresentadora comandou um bom bate-papo com o crítico José Armando Vannucci, Elmo Francfort e o diretor Nilton Travesso. O quarteto destacou os momentos mais marcantes da história da emissora, como a parceria entre CNT-Gazeta nos anos 90.

O canal mais paulistano precisa de criatividade. Necessita de uma injeção de vitalidade.

Fabio Maksymczuk

sábado, 25 de janeiro de 2020

"Bom Sucesso" termina com missão cumprida


Olá, internautas

Nesta sexta-feira (24/01), a TV Globo exibiu o último capítulo de “Bom Sucesso”. A novela das sete, escrita por Paulo Halm e Rosane Svartman, termina com a missão cumprida. A trama, com direção artística de Luiz Henrique Rios e direção geral de Marcus Figueiredo, sobressaiu, principalmente na primeira metade da obra. A novela teve o mérito de incentivar o hábito da leitura no telespectador. Além disso, a diversidade étnica marcou o elenco. Ponto positivo.

A seguir, o tradicional balanço com os pontos positivos e negativos.



PONTOS POSITIVOS

Antonio Fagundes (Alberto): um dos melhores trabalhos do ator em telenovelas. Sobressaiu no elenco ao interpretar o cadeirante Alberto. O telespectador ficou ao lado do proprietário da Prado Monteiro. O ator trouxe naturalidade na interpretação ao destacar a literatura em seus diálogos. Não ficou forçado.

Romulo Estrela (Marcos):  trabalho irrepreensível de Estrela que conquistou, merecidamente, seu espaço na TV Globo. Ele não envolveu só Paloma, mas o público. Poderia facilmente ter caído no estereótipo de “cafajeste”, mas, graças ao desempenho do ator, Marcos passou a imagem de sedutor.  

Fabiula Nascimento (Nana): a atriz engatou uma novela à outra. Saiu de “Segundo Sol” e desembarcou em “Bom Sucesso” sem respiro. E não trouxe um resquício sequer da cozinheira Cacau. Incorporou, com facilidade, uma mulher sofisticada e da “alta cultura literária”.



Grazi Massafera (Paloma): a atriz conseguiu passar cumplicidade ao lado de Antonio Fagundes. A relação de amizade entre Paloma e Alberto foi o que mais chamou a atenção do telespectador. A cena da dupla na Marquês de Sapucaí, exibida no antepenúltimo capítulo, entrou para a galeria da história da teledramaturgia brasileira (foto que estampa o post). Grazi sobressaiu principalmente nos dois terços iniciais da novela. Nesta reta final, ficou, misteriosamente, com a “interpretação afetada”. Porém, isso não ofuscou o seu trabalho.

Bruna Inocencio (Alice): a jovem atriz aproveitou a sua oportunidade ao viver Alice, uma das personagens mais queridas da trama.

Igor Fernandez (Luan): o ator também aproveitou a boa oportunidade com “Bom Sucesso”. Sobressaiu no elenco jovem da novela.

Valentina Vieira (Sofia): excelente desempenho da atriz-mirim. Demonstra aptidão para a carreira artística.



PONTOS NEGATIVOS

Armando Babaioff (Diogo): o ator oscilou durante toda a novela. Diogo, que exigia virilidade no vídeo, em muitos momentos, mais parecia a reencarnação de Félix, interpretado por Matheus Solano, em “Amor à Vida”. Só faltava bradar “Salguei a Santa Ceia”.... Em outros momentos, é necessário ressaltar, o ator conseguia encarnar a vilania do personagem. Nesta reta final, os exageros na interpretação também comprometeram o seu desempenho no vídeo. Na TV, menos é mais. Trabalho irregular.

Silvana Nolasco (Ingrid Guimarães): personagem “mala” da novela. A impressão passada é que, caso a história central, carregada no drama, não funcionasse na faixa horária mais acostumada com comédias, os autores puxariam Silvana Nolasco para o centro. Isso não aconteceu. Por isso mesmo, todo o núcleo da atriz sobrou na trama.

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

"BBB20" estreia com desafio de "Amor de Mãe"


Olá, internautas

Nesta semana, a TV Globo estreou a vigésima edição do “Big Brother Brasil”. O reality se transformou no mais importante do gênero na TV brasileira. “BBB” é o programa que melhor se acopla à internet. É o fenômeno da transmídia.

Especialmente desde o “BBB16”, os brothers e sisters aproveitam a fama instantânea para se espraiar nas redes sociais, especialmente o Instagram. Além do prêmio de R$1,5 milhão (valor desatualizado há anos), a conquista de seguidores se transformou em uma verdadeira obsessão.

Após a temporada apática de 2019, o “BBB20” veio com a novidade de trazer alguns “famosos” que integram o grupo Camarote. Adversários da trupe dos “Pipocas” composto por pessoas que se inscreveram e passaram por todas as etapas de seleção.

Na realidade, os nove “convidados” não são “tão” conhecidos do grande público. Nesta estreia, Tiago Leifert até frisou sobre a equipe: “talvez vocês conheçam”. Talvez mesmo. Porém, isso não é um problema. O “BBB” é construído por anônimos. Muito diferente da proposta de “A Fazenda”.

Mari Gonzalez já passou a impressão de “nariz empinado” no primeiro encontro com os “pipocas”. A modelo enfatizou que participou do “Pânico na Band”. Além de ex-panicat, destacou que foi apresentadora da atração. Oi? O ator Babu Santana já apostou no discurso de “negro e favelado”. A mesma “estratégia” de Danrley no ano passado. Manu Gavassi seria a mais conhecida do reality. Porém, com sua personalidade calma e “zen”, poderá ser “esmagada” pelos colegas.

Nesta vigésima edição, os médicos continuam com a sua cota. Personagens marcantes na história do reality. Desta vez, duas médicas: Marcela e Thelma. O ex-jogador Hadson, a cantora-vendedora Flayslane e a advogada Gizelly já passaram a impressão de serem pessoas com temperamento forte. Deverão criar cizânias no confinamento. Já Victor Hugo deverá revelar, teoricamente, a sua experiência de ser um assexual.

Nesta estreia, Tiago Leifert apareceu desanimado. Precisa de mais energia para comandar o show. Há ainda a Casa de Vidro que poderá remexer ainda o tabuleiro com a presença de ex-BBBs.

Nesta temporada, o “BBB” contará com o desafio de suceder “Amor de Mãe” na programação. A novela encontra-se fora da meta nos índices de audiência e deverá bater recorde negativo entre todas as produções da faixa horária.  O reality sempre é acoplado à novela das nove. Tanto que até hoje é considerado uma “novela da vida real”. O “BBB20” terá que chamar a atenção para alavancar a sua própria audiência e não se tornar a “pior audiência da história do reality” diante do efeito cascata negativo.

Fabio Maksymczuk  

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

FABIOTV na TV Cultura – "Roda Viva" com Sergio Moro


Olá, internautas

Recebi o convite da assessoria de comunicação da TV Cultura para acompanhar, nesta segunda-feira (20/01), a entrevista do ministro de Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, no “Roda Viva”. A atração entrou na temporada 2020 com uma novidade. A jornalista Vera Magalhães comanda agora um dos programas de entrevistas mais tradicionais da TV brasileira. Um espaço que fortalece a nossa democracia.

Cheguei à sede da emissora e logo vi manifestantes contrários ao ministro. Duas mulheres, em especial, ostentavam cartazes com a menção “Moro fascista”.  Ouviram que eu era jornalista e começaram a disparar em minha direção: "vai lá e pergunta sobre Flávio Bolsonaro". Segui adiante. Depois, resolveram me insultar: seu fascista. Agressividade desnecessária em um ambiente polarizado. Retrato de parte da sociedade brasileira.

Logo em seguida, adentrei na emissora. Convidados já participavam de um coquetel oferecido no ambiente externo. Por lá, vi Marcelo Tas, do “Provocações”, e Atilio Bari, apresentador do “Persona em Foco”.


Em um salão reservado aos convidados, um telão projetava a programação da TV Cultura. Às 22 horas, entrou o “Roda Viva” ao vivo com Moro. Uma das suas declarações mais polêmicas recaiu sobre a Vaza Jato. “Nunca dei importância para aquilo [os vazamentos], foi um monte de bobajarada....Agora, foi usado politicamente para tentar soltar criminosos presos, pessoas que haviam sido condenadas por corrupção e, principalmente, enfraquecer politicamente o Ministério da Justiça e Segurança Pública”, disparou.

Em seguida, o ministro defendeu a divulgação dos áudios captados entre a então presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula que assumiria um ministério. Para Moro, isso atendeu o bem do interesse público, já que era uma obstrução da Justiça ao buscar o foro privilegiado.  

Moro também defendeu que as investigações do assassinato de Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes permaneçam na Justiça do Rio de Janeiro, já que a própria família descarta a federalização do caso. Segundo o ministro, o presidente Jair Bolsonaro nunca interferiu no processo.
Sobre o vídeo do então secretário nacional de Cultura, Roberto Alvim, inspirado no ministro nazista, Paul Joseph Goebblels, classificou o material como bizarro. “Episódio insustentável”, sentenciou. O ministro foi indagado sobre a novidade do juiz de garantias. “Não é prioridade para a melhora do sistema judiciário”, resumiu.

Agradeço o convite da assessoria de comunicação da TV Cultura. Sempre é bom acompanhar in loco os bastidores da nossa televisão.

Fabio Maksymczuk

domingo, 19 de janeiro de 2020

Reality gay ganha destaque na madrugada da RedeTV!


Olá, internautas

A RedeTV! apostou em uma novidade em sua programação da madrugada. Trata-se do programa “Os Corujas no Ar” sob comando de Eduardo Bodstein e Bruno Lorenzetti. É um reality que acompanha o dia a dia do casal homoafetivo.

A produção independente vai ao ar após os melhores momentos do Encrenca, na madrugada de sábado para domingo. A primeira meia hora sempre é a reprise do episódio inédito que vem a seguir. Portanto, uma hora no ar.

O grande mérito da atração é destacar dois homens bem-sucedidos, sem o estereótipo de “jovens sarados da The Week”. O reality sempre conta com alguma participação especial. Em episódios anteriores, a tailandesa Yuko, do MasterChef, preparou um jantar no apartamento dos corujas. A atriz Vanessa Goulartt também foi uma das convidadas.  

O “príncipe” ex-BBB André Martinelli passou dicas para “bombar” nas redes sociais. O ator Fernando Vieira, proprietário da Escola de Atores Palco Teatro, deu dicas sobre interpretação.

No episódio mais recente, Eduardo e Bruno discutiram. Brigaram na Blue Space. Segundo Lorenzetti, o companheiro tira a sua liberdade. Depois, fizeram as pazes no Hotel Hilton. Rolou até beijo na boca nesta edição, o que não é visto com tanta frequência durante o desenrolar do reality.

As relações familiares também ganham destaque. O telespectador teve a oportunidade de conhecer as famílias dos corujas. O pai de Eduardo, por exemplo, trata o companheiro do filho de “melhor amigo”.

Mesmo em um horário ingrato, “Os Corujas no Ar” é mais um passo no combate à homofobia promovido na TV brasileira.  

Fabio Maksymczuk