Páginas

sábado, 30 de maio de 2020

Fernanda Gentil enfrenta turbulência na TV Globo


Olá, internautas

Fernanda Gentil chamou a atenção dos telespectadores na cobertura esportiva. Passou carisma e competência no vídeo. Tiago Leifert tinha obtido o mesmo reconhecimento. O jornalista ganhou novos desafios na carreira e se transformou em um competente apresentador de entretenimento.

O mesmo caminho estava sendo traçado para Fernanda. Diferente do colega, a apresentadora enfrenta mais desafios nesta transição. Após a sua saída do “Esporte Espetacular”, a jornalista ficou meses fora do ar. Criou-se uma grande expectativa para o seu retorno que não foi triunfal.

Ressurgiu no “Se Joga” que, desde o lançamento do projeto, já era visto com desconfiança. A atração saiu do ar e não deixou saudade. Fernanda entrou nesse comboio. Mais alguns meses fora do ar.
Neste sábado (30/05), Gentil retornou ao vídeo em um singelo quadro do “É de Casa”. A jornalista comanda “Mundo Gentil”. Cerca de 10 minutos no ar. A carioca prestará serviço e valorizará iniciativas solidárias em tempos de pandemia do novo Coronavírus.

Porém, a edição ficou comprometida. Ela olhava em direção a uma câmera que sofreu uma queda, após a gravação, e suas imagens foram perdidas. Somente a outra, no plano geral, enquadrava as falas. Tenso. Ar amador. Que fase...

Gentil poderia ter retornado ao jornalismo nesta cobertura da pandemia. Seria um bom reforço ao "Encontro com Fátima Bernardes" em sua versão estendida. Ela poderia passar informações sobre o novo Coronavírus no Brasil. "É de Casa" já é um programa superpovoado. O brilho da comunicadora fica ofuscado. 

Fabio Maksymczuk  

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Bial desvenda desilusão de William Bonner


Olá, internautas

“Conversa com “Bial” já retornou com edições inéditas desde a última semana. O jornalista realiza agora as entrevistas por vídeoconferência. Como já ressaltamos neste espaço, a TV brasileira se transformou em uma grande “live” diante dos empecilhos provocados pela pandemia do novo coronavírus.

Nesta madrugada de terça (26/05) para quarta-feira (27/05), Bial entrevistou William Bonner. Neste bate-papo, o âncora do “Jornal Nacional” ficou humanizado. Sem o tradicional terno, ele revelou as agruras que sofre há três anos.

Visivelmente abatido, as palavras “ódio” e “incivilidade” marcaram o seu desabafo. Realmente demonstrou indignação e desilusão. Disse que já foi agredido verbalmente em uma padaria e enfrenta momentos tensos em aglomerações. Evita até aeroporto. O contraponto com o inesquecível quadro “Caravana JN”, resgatado por Bial, marcou tal constatação.

Bonner também destacou as Fake News, verdadeira erva-daninha da internet, que atingiu seu filho. “Eu era um frequentador do Twitter, eu acho que fui um dos primeiros entre colegas a abrir uma conta de Twitter e não usava para trabalho, era para me divertir. Só que também acompanhei uma mudança de ambiente ali. O que era uma diversão boba, infantil mesmo, foi se transformando em um campo de batalha. Eu hoje muito raramente eu entro em rede social. Entro às vezes por dever de ofício. E eu ainda hoje me assusto com o ódio que escorre nas palavras mal escritas, cuspidas”, frisou.

Bonner ainda analisou as dificuldades encontradas pelo jornalismo profissional. “A sensação que eu tenho é que se criou toda uma situação exatamente para que se tornasse muito difícil o trabalho. Mais um passo, mais uma ação para nos dificultar, para impedir que o trabalho da imprensa seja feito. E essa intolerância que eu vejo ter surgido não nas ruas, mas no ambiente virtual, de uma maneira muito assustadora”, ressaltou.

A imagem resignada de Bonner é um retrato da corroída sociedade brasileira. “Conversa com Bial” cumpriu sua missão em desnudar o entrevistado.

Fabio Maksymczuk

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Guerra midiática atinge Band


Olá, internautas

A guerra midiática ganhou novo capítulo com a exibição da reunião ministerial liderada pelo presidente Jair Bolsonaro. Agora, chegou a vez da Band ser o alvo da vez.

Na última sexta-feira (22/05), no “Brasil Urgente”, José Luiz Datena apresentou o polêmico vídeo do encontro entre o mandatário do Brasil e seus ministros. Em um dado momento, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, ressalta que a Band queria dinheiro.

Datena protestou com a declaração. “Agora vai ter que provar”, disparou o apresentador. “Eu não peguei um tostão”, bradou. “Aqui não tem ladrão”, completou.

“O cara não pode sujar uma emissora horada sem explicitar o que aconteceu. Tenho certeza que se alguém daqui tentou levar o chamado jabá, dinheiro por fora, esse sujeito será colocado na rua e processado pela Band. Se eu fosse a Band, interpelava esse cidadão juridicamente”, defendeu.

“Me recuso a fazer qualquer comercial da Caixa e desse Governo”, disparou. “A imprensa pulha é uma ova”, continuou Datena sobre as declarações de Bolsonaro que atacou órgãos da imprensa no encontro.

“Não quero mais entrevistar o senhor Presidente da República depois de uma atitude dessa. Gostaria que ele desse entrevista para quem ele quisesse, com todo o respeito que tenho a ele e ao cargo. Me permito nunca mais fazer entrevista com ele”, detonou.

Como já ressaltado neste espaço, Datena conseguia entrevistas longas e exclusivas com Bolsonaro. Transformou o seu programa em prestador de serviço ao tirar dúvidas dos telespectadores sobre o auxílio emergencial com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e executivos da Caixa. Conquistou expressivos índices de audiência. Deixou o SBT na quarta colocação no IBOPE com frequência.

Agora, com a eclosão do polêmico vídeo, a relação se deteriorou. Datena ficou enfurecido. O governador de São Paulo, João Doria Jr., e o prefeito da capital paulista, Bruno Covas, podem, com isso, ganhar mais espaço. A conferir.   

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 22 de maio de 2020

SBT desmonta programação vespertina


Olá, internautas

Nesta semana, o SBT voltou a aprontar com o telespectador. A emissora de Silvio Santos desestruturou a sua programação vespertina. Em um primeiro momento, o “Fofocalizando” se transformou em “Triturando”.

Em seguida, Livia Andrade e Mara Maravilha foram afastadas. Entraram Ana Paula Renault e Flor. Ana Paula possui, de fato, uma legião de fãs, mas também carrega expressiva taxa de rejeição do telespectador. Ela, sozinha, não levará mais público ao vespertino.

Posteriormente, de supetão, o “Bom Dia & Cia”, que colhe bons índices de audiência, perdeu mais de três horas de exibição. O canal resolveu experimentar o “Primeiro Impacto” em uma versão requentada. Como já era previsível, afundou a audiência e prejudicou todo o restante da grade.

O jornalismo não integra o DNA do SBT. E em tempos de pandemia, os outros canais sobressaem. Por isso mesmo, não é raro a Band ficar agora à frente dos domínios de Silvio Santos. Dudu Camargo e Marcão do Povo estão longe de arregimentar público, como fazem Luiz Bacci, Gottino, Geraldo Luis ou Datena.

O SBT também inverteu a ordem de exibição entre “Triturando” e “Casos de Família”. Sem sucesso. A atração de Christina Rocha não eleva a audiência do canal. Experiência frustrada.

Agora, o SBT resolveu reprisar “O Que a Vida Me Roubou”, protagonizada pela estrela Angelique Boyer. É a novela mais fraca e problemática da atriz. Fica ao redor dos 6 pontos. E para completar, “Betty, a Feia em Nova York” não engrenou nos índices de audiência. A trama da Telemundo ficava, corriqueiramente, atrás da reprise de “Meu Coração É Teu” que chegou ao último capítulo com 9 pontos. A nova versão de Betty fica entre 5 e 6 pontos.

A programação vespertina se transformou em uma frequente dor de cabeça nos executivos do SBT. A estratégia “tira, põe, deixa ficar” retornou para irritação do telespectador.

Fabio Maksymczuk

terça-feira, 19 de maio de 2020

"Largados e Pelados" provoca reflexão sobre humanidade


Olá, internautas

Nesta segunda-feira (18/05), “Largados e Pelados” estreou na Band. A nova atração, exibida originalmente na Discovery, garantiu expressivos 3 pontos de média. A faixa ocupada anteriormente por Band.Doc situava na casa do 1 ponto de média.

Catia Fonseca e José Luiz Datena, na transição entre o “Melhor da Tarde” e “Brasil Urgente”, fizeram ampla divulgação do novo programa. Ajudaram a despertar a curiosidade no telespectador.

A ideia do reality é original. Uma dupla, formada por um homem e uma mulher, é deixada nu na selva para sobreviver por 21 dias. Vivem, no século XXI, as agruras dos nossos ancestrais que conviviam com fome e medo permanente diante dos predadores naturais.

Neste episódio da estreia, um grupo de hienas rondava a dupla. O homem enfrentou uma infecção em seu pé. Descalço (sem as benditas invenções da sandália, sapato ou tênis), pisou em espinhos. De acordo com a edição, a infecção poderia atingir a perna e os vasos sanguíneos. A morte, sem os medicamentos da sociedade contemporânea, seria uma hipótese plausível.

Neste momento, cai “a ficha” no telespectador. O ser humano é frágil. Até há poucos séculos atrás, a expectativa de vida girava ao redor dos 40 anos. Hoje, a perspectiva é que ultrapasse a barreira dos 100 anos. E a situação era mais desafiadora para os ancestrais que iniciaram a chamada “evolução”.

Mesmo nus, neste episódio, não ocorreu conotação sexual. A luta ali é por água e comida. Elementos também percebidos nos seres humanos “high techs” confinados em verdadeiras mansões vigiadas por centenas de câmeras nos realities de confinamento.

“Largados e Pelados” provoca reflexões sobre a humanidade. A Band acerta ao trazer material inédito em sua programação.  

Fabio Maksymczuk

sábado, 16 de maio de 2020

Otaviano Costa continua forçado em "Extreme Makeover Brasil"


Olá, internautas

O GNT se destaca por programas que envolvem o lar. Atualmente, há uma tríade de atrações do segmento. O primeiro deles é o “Santa Ajuda” que já se encontra na décima temporada. Sempre com a maestria e delicadeza da apresentadora Micaela Góes.  É muito bem produzido e oferece bons momentos ao telespectador que anota as dicas que podem ser utilizadas em suas residências.

O segundo é o “Decora” com o arquiteto Mauricio Arruda que já vive o clima da 12ª temporada. Ao contrário de Micaela que arruma a “bagunça”, o arquiteto comanda uma obra de reestruturação geral de um cômodo.

“Extreme Makeover Brasil” agora completa o trio do gênero no GNT. Otaviano Costa comanda a nova atração. Em 10 dias, a trupe formada pelo arquiteto Duda Porto, a engenheira Bruna Arruda, o decorador Diogo Oliveira e a criadora Paloma Cipriano reforma os lares por completo. Realmente, as residências ganham uma competente nova “roupagem”. O episódio da reconstrução da casa do pai e filho corintianos demonstra a competência da equipe.  

Apesar disso, o estilo “exagerado” de Otaviano é um ruído no “Extreme Makeover Brasil”. O apresentador não passa naturalidade no vídeo. Força situações para ser “engraçado” e “companheiro” das pessoas envolvidas na reforma. Gesticula demais. Em um dos episódios, começou a gritar, como ocorria no “Tá Brincando?”, seu último programa na TV Globo. Fora do tom.

A delicadeza de Micaela e Mauricio contrasta com Otaviano. Isso não é bom.

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 14 de maio de 2020

TV Gazeta acerta com "Plantão da Saúde"


Olá, internautas

Com a paralisação das competições futebolísticas, a programação da TV brasileira se viu obrigada a encontrar novos caminhos. A TV Globo reprisa partidas históricas da seleção brasileira. No entanto, neste domingo (10/05), a emissora viu seus índices de audiência encolherem com a reprise da conquista da medalha de ouro do futebol feminino, sob batuta de Marta. A goleada por 5 a zero sobre os Estados Unidos registrou 11 pontos de média. A conquista do penta registrou 21 pontos.

A Band também reprisa partidas, só que de times. Conquistas do Corinthians no Brasileirão ganharam destaque nos últimos domingos. Renata Fan com o “Jogo Aberto”, que agora ganhou um belo cenário, e Neto com o seu “Os Donos da Bola” utilizam da criatividade para a continuidade da exibição diária focada no esporte. Os dois, normalmente, comandam entrevistas com jogadores em suas residências.

O esporte também faz parte do DNA da TV Gazeta. Os tradicionais “Mesa Redonda” e “Gazeta Esportiva” foram afetados pelo novo Coronavírus. A atração de Flavio Prado até chegou a exibir a decisão histórica entre São Paulo e Guarani no Campeonato Brasileiro de 1986.

Já o “Gazeta Esportiva” cedeu espaço para a prestação de serviço diante da pandemia que preocupa a humanidade. Celso Cardoso e Michelle Giannella comandam o “Plantão da Saúde” que sempre exibe reportagens com a equipe do “Gazeta Esportiva” pelas ruas de São Paulo. Nesta quarta-feira (13/05), o repórter Guilherme Camarda denunciou a aglomeração que ocorre na 25 de março, tradicional via comercial na capital paulista. Lojas estão fechadas, mas ambulantes permanecem na região.

Celso e Michelle, no estúdio, entrevistam especialistas de saúde que trazem um panorama sobre o vírus. Os apresentadores sempre passam orientações aos telespectadores diante do crescimento de infectados pela Covid-19. Em uma linguagem popular. Ótimo trabalho jornalístico.

A TV Gazeta acerta com o “Plantão da Saúde”.

Fabio Maksymczuk

terça-feira, 12 de maio de 2020

"Caldeirão do Huck" acerta com Pequenos Gênios


Olá, internautas

Neste período de reprises que marca a programação da TV brasileira, em virtude da paralisação das gravações diante do novo Coronavírus, o “Caldeirão do Huck” se destaca ao exibir um quadro inédito.

Luciano Huck agora comanda “Pequenos Gênios”. A atração inédita reúne crianças de 9 a 13 anos com alta habilidade de aprendizado. É um quadro que valoriza a inteligência, o estudo e a educação, mesmo mote do antigo e saudoso Soletrando.

Nesta etapa, há competição entre dois trios. No último sábado (09/05), Homo Genius, composto por Pedro, Gabriel e Ana Luisa, enfrentou o Velozes e Estudiosos com Silas, Julia e Matheus que saiu com a vitória.

Os desafiantes encaram questões de lógica, raciocínio, memorização, conhecimentos gerais e soletração, só que desta vez as crianças precisam responder de trás para frente. O time vencedor poderá levar 200 mil reais.

Na mais recente edição, foi impressionante acompanhar a rapidez do raciocínio da pequena Julia, de apenas 9 anos, que respondeu com destreza as questões matemáticas que envolviam diversas operações.

“Caldeirão do Huck” cumpre a sua missão em valorizar o estudo em um País que minimiza a importância da educação para o fortalecimento da sociedade com a redução das desigualdades sociais e econômicas.  

Fabio Maksymczuk

sábado, 9 de maio de 2020

"Fofocalizando" sofre mutação contra Mutantes


Olá, internautas

Nesta semana, a Record TV escalou “Os Mutantes – Caminhos do Coração” em sua faixa vespertina de telenovelas reprisadas. É válido relembrar que a continuidade da saga não conquistou a repercussão da obra original “Caminhos do Coração”.

Na concorrência, o problemático ”Fofocalizando” sofreu mutação pelas mãos de Silvio Santos. Agora, o vespertino do SBT chama “Triturando”. O programa “estreou” nesta sexta-feira (08/05) com longa duração de duas horas e 15 minutos no ar. “Casos de Família” cedeu espaço para a “avant première”. Christina Rocha desapareceu ontem da programação.

Há dois pontos positivos no “Triturando”. Chris Flores permanece como apresentadora. Ela, jornalista formada, passa credibilidade no vídeo. Chris é uma profissional elegante. Nesta “estreia”, passou com maturidade o seu recado para a secretária da Cultura do governo Bolsonaro, Regina Duarte. O outro ponto positivo recai na extinção das longuíssimas matérias que entupiam o “Fofocalizando”.

Mara Maravilha, Livia Andrade e Gabriel Cartolano emitem suas opiniões, ininterruptamente, sobre fatos, celebridades e músicas. Eles decidem ou rejeitam “triturar” os destaques levantados por Chris.     
Neste pronto, a “nova” atração perde o fôlego. Uma sucessão de canções de priscas eras ressurgem ao lado de estilos contemporâneos, como funk e sertanejo universitário. Fotos de cantores dos anos 50, por exemplo, ficam no ar por um longo período embaladas pela sua música. Em seguida, o quarteto analisa se tritura a canção ouvida. Isso consumiu ontem mais de uma hora de duração. Tal atração enjoa facilmente em 10 minutos. Imaginem com 1 hora diária de segunda a sexta.   

Com os “grandes sucessos da música brasileira”, “Triturando” tritura, na realidade, a paciência do telespectador.

Fabio Maksymczuk

quarta-feira, 6 de maio de 2020

"Aruanas" perde fôlego com exibição semanal


Olá, internautas

“Aruanas” já estreou na TV Globo na terça-feira (28/04) da semana anterior. A nova série, assinada por Estela Renner e Marcos Nisti, com direção artística de Carlos Manga Jr, direção geral de Estela Renner, parceria técnica do Greenpeace e colaboração de Pedro de Barros no roteiro, tem como missão trazer luz à preservação da biodiversidade, em especial da Floresta Amazônica.

A produção, originalmente disponível no GloboPlay, estreou com 21 pontos. O segundo capítulo registrou 19 pontos. Nesta faixa horária, o paredão do “BBB20” atingia índices ao redor dos 30 pontos. Uma queda sensível nos índices de audiência.

“Aruanas” apresenta três entraves. O primeiro deles recai na temática. A novela “Amor de Mãe”, que mal saiu do ar, explora a importância da preservação do meio ambiente, através do duelo entre os personagens Álvaro (Irandhir Santos) e Davi (Vladimir Brichta) sobre os rumos da PWA, conglomerado do ramo de plástico. Já “Aruanas” enfoca as consequências da mineradora KM que agride a Amazônia. Luiz Carlos Vasconcelos, que também integra “Amor de Mãe”, vive o vilão Miguel na série. Além da temática ambiental, cada personagem enfrenta seus dilemas pessoais. Como acontecia em “Sob Pressão” e “Segunda Chamada”.

O segundo obstáculo surge na escalação de Tais Araújo que interpreta a ativista Verônica. Advogada. Em “Amor de Mãe”, a atriz também interpreta a advogada Vitória que apoia as iniciativas do ativista Davi. Perfis semelhantes. Sempre é válido salientar que a TV Globo poderia apostar em novos talentos para protagonizar suas produções. Sempre são os mesmos. Leandra Leal e Debora Falabella que interpretam, respectivamente, Luiza e Natalie, são profissionais frequentes nas escalações.   

Por fim, “Aruanas” possui formato, na realidade, de minissérie. Um capítulo é engatado ao outro. Há uma continuidade na história entre os episódios. Conquistaria mais fôlego com a exibição diária. E não apenas às terças-feiras.  O telespectador precisa relembrar o que aconteceu na semana anterior.

Fabio Maksymczuk

domingo, 3 de maio de 2020

"Aqui na Band" entra em nova fase com saída de Poppovic


Olá, internautas

O programa “Aqui na Band”, até aqui, ainda não engrenou nos índices de audiência. A atração matinal completa neste mês um ano no ar ainda na casa abaixo do 1 ponto no IBOPE.

Neste período, Luis Ernesto Lacombe e Silvia Poppovic não passaram entrosamento no vídeo. Dois apresentadores com personalidades fortes que não deram liga. Silvia passava a impressão de incomodada ao dividir o comando do programa. Não transmitia felicidade pelo olhar. Já Lacombe emite suas opiniões mais favoráveis ao ideário do presidente Jair Bolsonaro. E isso gera repercussão nas redes sociais.

Por esse motivo, não foi surpresa a demissão de Poppovic. Como já ressaltado neste espaço, o Coronavírus se transforma em justificativa para decisões difíceis. “Aqui na Band” precisa de mudanças para engrenar de fato.

Sucumbiu o modelo adotado com diversos especialistas. Nana Rude, Fernando Gomes e Sergio Tannuri também foram demitidos. Agora, o matinal aposta basicamente em grandes debates sobre o universo político.

Nesta segunda-feira (04/05), por exemplo, o jornalista Alexandre Garcia e convidados discutiram uma possível “Ditadura do Judiciário” que sufoca o governo Bolsonaro. Na semana passada, a deputada federal Joice Hasselmann e o senador Major Olimpio analisaram as turbulências provocadas pela saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Lacombe e Joice trocaram farpas diante da troca do comando da Polícia Federal. “Você está passando pano”, disparou a política do PSL para o apresentador que compreende as decisões do presidente.

Com a saída de Silvia, Nathalia Batista, até então colunista de moda, passou a ocupar a função de apresentadora ao lado de Lacombe. Ela possui uma imagem mais suave em comparação a Silvia. E foge do confronto com o colega. Apesar disso, uma questão ética se impõe. Nathalia é esposa do diretor Vildomar Batista. Muitos telespectadores fãs de Poppovic poderão rejeitar a substituta com a alcunha “mulher do diretor”. Complicado.

“Aqui na Band” é uma boa iniciativa da emissora do Morumbi, mas precisa de uma mudança estrutural para ganhar fôlego no IBOPE.

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 1 de maio de 2020

"Mestre do Sabor 2" traz conteúdo inédito para TV Globo


Olá, internautas

Nesta quinta-feira (30/04), a TV Globo estreou a segunda temporada de “Mestre do Sabor”. No ano passado, o talent show não se destacou na programação da emissora platinada. Ganhou pouca repercussão.

Diante da enxurrada de reprises que marca a programação da TV brasileira, em virtude da pandemia do novo Coronavírus, a segunda temporada do “Mestre do Sabor” traz conteúdo inédito ao telespectador.

Além disso, a atração navega sozinha sem os correlatos em outros canais, como “MasterChef”, pela Band, e “Top Chef”, na Record TV. Porém, os mesmos defeitos da temporada pioneira ressurgem no vídeo.

Claude Troisgros continua no comando. O apresentador ainda é conectado a uma imagem que foge da linha popular. Batista está ali justamente para quebrar essa impressão. Sem êxito. Desta vez, Claude ganha uma segunda ajuda. A atriz Monique Alfradique cobrirá os bastidores e auxiliará nos “merchans”. Tomará parte do espaço do chef.

O trio de jurados formado por Léo Paixão, Kátia Barbosa e José Avillez também não ajuda. Não criou empatia no vídeo. Posteriormente, o chef carioca Rafael Costa e Silva chegará ao programa para substituir Avillez, que voltou a Portugal para gerenciar seus restaurantes diante da pandemia por coronavírus.

Neste primeiro episódio, as histórias de vida dos candidatos ganharam destaque. Millena Barros vinda da roça. Junior Marinho saiu de Rio Branco, no Acre, após atritos com sua mãe em virtude da revelação da homossexualidade. Moacir Santana foi criado em um orfanato na Bahia. A candidata que defende a gastronomia social foi eliminada nesta seletiva.

Dentre os selecionados, um deles chamou mais a atenção do público. Francisco Pinheiro já é conhecido do telespectador. Ele ficou marcado no MasterChef Profissionais pelo seu temperamento difícil. Chegou até a grade final em 2017, mas perdeu para Pablo Oazen.

Em 2017, no blog ainda hospedado no UOL, comentei: “Francisco Pinheiro é o competidor que dará os melhores momentos para a edição. Ele já soltou depoimentos que enaltecem a sua competência. Normalmente, esse tipo de competidor angaria rejeição entre o público. Um dos mais experientes do elenco, o grisalho terá a missão de sobressair nas provas”.

Agora é acompanhar a reação do público com a segunda temporada de “Mestre do Sabor”. O programa precisará de mais “tômpero”, como brada o chef Jacquin.

Fabio Maksymczuk

terça-feira, 28 de abril de 2020

"BBB20" termina como segunda melhor edição da década


Olá, internautas

Nesta segunda-feira (27/04), “BBB20” chegou ao fim. Thelma Regina consagrou-se como a grande vencedora com 44,10% da votação. Rafa Kalimann ficou em segundo lugar com 34,81% dos votos. Manu Gavassi terminou em terceiro lugar com 21,09%.

Thelma repetiu o mesmo fenômeno de Gleici Damasceno que venceu o “BBB18”. Duas mulheres pretas que conseguiram mobilizar parte dos telespectadores engajados em movimentos sociais e que lutam pela representatividade. Thelma não protagonizou o reality. Não encarnou a figura de uma jogadora. Ela se transformou em símbolo de uma causa e mobilizou seu “eleitorado”.   

A vigésima edição ficará marcada pelo duelo entre homens e mulheres. Petrix, Hadson, Lucas Gallina e Felipe Prior personificaram a imagem de vilões. Marcela e Gizelly confrontaram os “boys” e, logo no início da competição, ganharam destaque. Porém, as duas “bombas” vindas da Casa de Vidro arruinaram suas pretensões.

O telespectador errou ao escolher a dupla Daniel Lenhardt e Ivy Moraes. A mineira foi acusada de racismo e só gritava pela casa. Já o gaúcho, que encarnava a imagem de militante, demonstrou falta de coletividade no confinamento. Colou em Marcela que seria a favorita naquela ocasião.



O ginasta Petrix saiu queimado do reality. Ostentará por algum tempo uma imagem ruim. Exposição maléfica. Felipe Prior conseguiu arregimentar para si um fã-clube que valorizou o seu lado “jogador” na casa. Ao mesmo tempo, também conquistou expressiva rejeição diante de sua postura exacerbada.

Pyong Lee incorporou a figura de jogador. Porém, também contraiu rejeição pela sua postura com as mulheres na casa, mesmo sendo casado e com a esposa grávida “aqui do lado de fora”, e pela soberba apresentada em determinadas situações.

Babu Santana liderou o discurso militante que desaguou na vitória de Thelma. Teve a má sorte de enfrentar as três torcidas juntas de Manu, Rafa e Thelma na semifinal. Porém, o ator transmitiu uma imagem de rabugento e de fumante inveterado. Apresentou dificuldades de relacionamento.

Manu Gavassi passou uma imagem singular no confinamento. Doce. Talentosa. Carismática. Aproveitou bem a exposição e deverá colher bons frutos em sua carreira artística. Rafa Kalimann transmitiu sobriedade no jogo. Mais racional que emocional.


Flayslane ficará lembrada pelos “porres” nas festas. Até urinou pelas dependências da casa mais vigiada do Brasil. Usou o “BBB20” como trampolim para sua carreira como cantora. E também será lembrada pelo discurso entoado pela Rafa: “Não gosto de você, não sinto verdade em você, acho você, sim, incoerente, você está onde te convém, em todos os seus jeitos, falas, andados, posicionamentos e etc, acho você uma falsa, acho você extremamente sem educação, extremamente grossa com as pessoas, extremamente soberba”. Fogo no parquinho.

Já Bianca Andrade, Guilherme Napolitano, Gabi Martins e Victor Hugo serão lembrados pelo “quadrado amoroso”. Mari Gonzalez ficou escondida no jogo.

Tiago Leifert sobressaiu no comando. Rafael Portugal também foi uma grata surpresa com o quadro CAT BBB. O comediante trouxe boas tiradas. Todas as peças se encaixaram no “BBB20”. Até mesmo o programa “BBB – A Eliminação” no Multishow e a Rede BBB na web com Vivian Amorim, Titi Muller, Bruno de Luca, Fernanda Keulla e Ana Clara. O jogo aconteceu. A edição termina como a segunda melhor da década, somente atrás do “BBB18”. Missão cumprida.

Fabio Maksymczuk

domingo, 26 de abril de 2020

TV brasileira se transforma em grande live


Olá, internautas

Neste sábado (25/04), a TV Globo inovou em sua programação. A emissora exibiu uma grande live comandada por Ivete Sangalo. O #EmCasa é o novo projeto multiplataforma do Grupo Globo que terá exibições simultâneas de shows em seus canais na TV aberta, TV por assinatura (Multishow) e no digital (Globoplay).

É bem verdade que o projeto poderia ter iniciado no sábado que vem. O telespectador estava mais interessado em acompanhar a semifinal do “BBB20”. Com o encerramento do reality, voltará o insosso “Zorra”. O espetáculo caseiro que reuniu também o marido e o filho de Ivete teria ficado mais atraente.

Na realidade, a TV brasileira se transformou em uma grande live. Jornalistas de suas residências trazem as análises políticas e econômicas nos telejornais. O telespectador fica de olho nos lares desses profissionais. Quem tem a maior biblioteca? Como é a sala ou o escritório de fulano?

Na RedeTV!, Faa Morena entrevista, por vídeo, os músicos no “Ritmo Brasil”. Na Band, Catia Fonseca comanda o programa “Melhor da Tarde” inteiramente de seu apartamento e também apresenta os quadros da atração por vídeo, como a astrologia com André Mantovanni.

A Record TV já transmitiu a live musical de Fernando e Sorocaba. A Band também já exibiu as lives com Leo Santana e Felipe Araújo na faixa do “Música na Band”. 

Além da TV Globo com o “Encontro” de Fátima Bernardes, já comentado neste espaço, e o matinal “É de Casa”.

Em tempos de pandemia, a TV brasileira se reinventa para permanecer no ar com material inédito.

Fabio Maksymczuk 

sexta-feira, 24 de abril de 2020

RedeTV! acerta em mudança no telejornal


Olá, internautas

Conforme já comentamos neste espaço, o novo Coronavírus provocou alterações na programação da TV brasileira. A RedeTV! também adotou mudanças, principalmente em seu principal telejornal.

O “RedeTV News” agora conta com a apresentação de Mariana Godoy, que foi efetivada no cargo, após a licença-maternidade de Amanda Klein, e Mauro Tagliaferri. Os dois, aliás, egressos do “Mariana Godoy Entrevista” que se encontra fora da grade. Em seu lugar, o canal exibe especiais comemorativos de seus 20 anos. Uma boa saída.

Mariana Godoy é um ativo da emissora que passa credibilidade. A profissional fortalece o noticiário com sua postura. Mauro já possui sintonia com a colega de bancada. Os dois transmitem sincronia. A dupla assume a postura exclusiva de apresentadores.

Opiniões ficam a cargo de seus comentaristas. Amanda Klein agora assume essa posição. Passa a sua visão sobre política. O mesmo acontece com o veterano Boris Casoy. Salette Lemos fica responsável pelas análises econômicas.

“RedeTV News” ganhou uma melhor unidade. Uma dupla de apresentadores mais dinâmica no vídeo com comentaristas que passam a sua opinião sobre o mundo político e econômico.

Fabio Maksymczuk