Páginas

segunda-feira, 3 de agosto de 2020

SBT oferece conteúdo inédito com Fábrica de Casamentos 4



Olá, internautas

Diante do novo Coronavírus que impactou a produção da TV brasileira, o telespectador encontra poucas atrações inéditas de entretenimento. Uma delas é a quarta temporada do “Fábrica de Casamentos” que foi gravada antes da pandemia. De forma incompleta com sete episódios.

Após a terceira temporada, esse tipo de atração, inevitavelmente, começa a enfrentar o processo de desgaste. E para piorar, o SBT reprisa os episódios durante o ano.

“Fábrica de Casamentos 4” veio sem grandes modificações. O mesmo cenário. A mesma equipe. Os mesmos dilemas de maquiagem e do vestido da noiva. Segue o mesmo padrão em todas as festas. Por isso mesmo, até aqui, “Fábrica de Casamentos” não alcança os mesmos índices de audiência auferidos em temporadas anteriores. Fica na casa dos 6 pontos.

O diferencial, em si, recai nos participantes. Neste sábado (01/08), uma boa história foi contada com a união entre o quase padre Igor e a quase freira Bruna. Beca Milano também surpreendeu com o bolo que entrou no espírito dos parques de diversão, temática da festividade. Realmente, “deu frio na barriga”. Além disso, a transformação visual do noivo foi surpreendente.

“Fábrica de Casamentos” é uma opção ao telespectador que encontra os melhores momentos (se isso é possível) do “Zorra” na TV Globo ou as reprises do “Show do Tom” pela Record TV.

Fabio Maksymczuk

sábado, 1 de agosto de 2020

Blog FABIOTV festeja 16 anos


Olá, internautas

É pique, é pique, é pique, pique, pique! Neste sábado (01/08), o blog FABIOTV celebra 16 anos na websfera. Isso mesmo. Seguimos com a premissa de abordar todas as emissoras, principalmente da TV aberta, com independência.

Durante esse período, espraiamos para o portal de notícias e redes sociais, incluindo Twitter (onde estou mais presente - @tvfabio), Facebook e mais recentemente no Instagram (fabiotv11).

Neste espaço que celebra hoje o seu aniversário, aprofundamos a análise sobre as novelas, realities, humorísticos, jornalísticos, esportivos e qualquer assunto que marca o universo televisivo.

Somos um dos blogs mais antigos da blogosfera em atividade. Mesmo com o advento de outras redes sociais, valorizamos sempre o blog FABIOTV que também reúne opiniões dos “telenautas” (telespectadores e internautas).

16 anos. Vamos em frente!

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 30 de julho de 2020

Fontenelle e Redó protagonizam bate-papo polêmico no "Sala de Imprensa"


Olá, internautas

O espaço FABIOTV nasceu com o objetivo de destacar os programas que não ganham espaço na cobertura especializada. Dentro desse contexto, abordamos hoje “Sala de Imprensa”, comandado por Sergio Redó, presidente da API (Associação Paulista de Imprensa), na TV Aberta.

O programa vai ao ar após o “Remember”, de Vivian Marques, na madrugada de sexta para sábado. A TV Aberta encontra-se disponível na NET. Ou seja, não é na TV aberta. Antigamente, chamava-se Canal Comunitário.

Na mais recente edição, Redó protagonizou uma entrevista polêmica com Antonia Fontenelle. O apresentador insistiu, a todo momento, que a atriz é, na realidade, jornalista. Até convidou a ex-esposa de Marcos Paulo a ser vice-presidente da Associação. Convite aceito.

Durante o bate-papo, a atriz ressaltou a sua admiração pelo presidente Jair Bolsonaro. “Após a entrevista, saí apaixonada pelo Bolsonaro”, esbravejou a entrevistada que comentou sobre as suas entrevistas com Bolsonaro antes e depois das Eleições de 2018. De acordo com Antonia, ela desfez a má imagem que parte do universo artístico faz do político.

Redó também questionou a polêmica com Felipe Neto. “Se fosse o presidente, mandaria ele para fora do Brasil", disparou sobre o youtuber.

Já o presidente da API, que ressaltou ser evangélico, revelou que detesta os termos empoderamento e sustentabilidade. Também recrimina a expressão “o mundo é gay”. "O mundo não é gay. O mundo é HÉTERO", bradou. Em outras edições, Redó demonstrou sua admiração pessoal pelo presidente Bolsonaro.

Desse modo, “Sala de Imprensa” é mais um espaço na mídia que valoriza o atual governo.

Fabio Maksymczuk

terça-feira, 28 de julho de 2020

Televisa recupera terreno no SBT com "Quando Me Apaixono"

Olá, internautas

A Televisa recuperou seu terreno no SBT. Na última semana, “Quando Me Apaixono” estreou na emissora de Silvio Santos. Nestes primeiros capítulos, a “legítima” novela mexicana conseguiu elevar os índices herdados de uma programação vespertina decrépita.

“Quando Me Apaixono” segue a tradicional receita dos folhetins. É o chamado “novelão” recheado de atores e atrizes já conhecidos do telespectador brasileiro. A novela estava na fila do SBT há alguns anos. É uma produção de 2010.

A nova aposta de Silvio Santos é estrelada por Silvia Navarro que ficou conhecida no Brasil pela novela “Meu Coração É Teu” com a carismática babá Ana. Agora, a atriz dá vida a Renata. José Ron, que vive Matias, “irmão” da protagonista, chamou a atenção do público ao encarnar o bom moço Gustavo em “A Que Não Podia Amar”. Já René Casados interpreta Gonçalo Monterrubio, padrasto de Renata. Entre os seus personagens mais recentes no Brasil, destacam-se o mordomo Bruno em “Meu Coração É Teu” e o padre Lupe em “Abismo de Paixão”.

Uma sucessão de acontecimentos agitou os primeiros capítulos de “Quando Me Apaixono”. A vilã-mor Josefina (Rocio Banquells) já assassinou o ex-companheiro e o namorado da filha Roberta (Jessica Coch), além de ter sequestrado Renata ainda bebê. A busca pela filha desaparecida, velho elemento dos folhetins, está presente. A trama tem como pano de fundo a produção de vinhos.

As novelas mexicanas integram o DNA sbtista. “Quando Me Apaixono” pode enamorar o seu telespectador que aprecia tal atração. E é uma novela inédita em meio a uma programação recheada de reprises.

O SBT experimentou trazer uma produção da Telemundo com “Betty, a Feia em Nova York”.  A trama não explodiu na audiência e tampouco ganhou repercussão. Durante a exibição de “Meu Coração É teu”, chegou a não sustentar os índices herdados da antecessora. Isso é uma resposta do telespectador.

Fabio Maksymczuk

domingo, 26 de julho de 2020

Criatividade supera limitação em "Diário de Um Confinado"


Olá, internautas

Neste sábado (25/07), a TV Globo exibiu o último episódio do “Diário de Um Confinado”. A atração, que ocupou a faixa do insosso Zorra, divertiu o telespectador ao trazer Murilo, personagem interpretado por Bruno Mazzeo, em suas peripécias durante a quarentena.

Seguindo os protocolos da produção remota, o próprio elenco, dirigido por Joana Jabace, esposa de Mazzeo, captou as cenas através de um kit de gravação por celular, preparado para uso individual e enviado à residência de cada um.

Mazzeo surgiu impecável ao interpretar o homem solteiro, confinado em seu apartamento, que desconhecia os afazeres domésticos. Tiradas ótimas. Humor que provocou risos no público. Renata Sorrah, que viveu a mãe neurótica de Murilo, também sobressaiu na produção. Estava ótima.

“Diário de Um Confinado” é mais um esforço de atores e demais profissionais em oferecer conteúdo inédito ao telespectador. E esse material foi de ótima qualidade. A criatividade superou as limitações impostas pela pandemia do novo Coronavírus.

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Programação da Record TV ganha reforço com retorno de jornalístico


Olá, internautas

Enquanto a linha de realities “bate cabeça”, a Record TV ganhou um reforço importante em sua programação na noite desta quinta-feira (23/07). O “Repórter Record Investigação” retornou agora sob comando da competente Adriana Araújo. O experiente Domingos Meirelles, que comandava a atração, não pode ser descartado pelo canal. É um ícone do telejornalismo da emissora da Barra Funda. Em tempos de Covid-19, é melhor resguardá-lo.

Nesta primeira edição, Adriana apenas leu as chamadas da grande reportagem que destacou o serial killer Francisco das Chagas e contou com uma entrevista exclusiva de sua ex-mulher e da sua filha mais velha. A ex-esposa demonstrou todo o seu rancor com o ex-marido. A amargura se incrustou em sua face, através das rugas. Por outro lado, a filha revelou seu amor incondicional ao pai.

A reportagem, produzida pelos jornalistas Marcus Reis, Giulia Gazetta, Aldrich Kanashiro e Michel Mendes, desnudou a incompetência da polícia do Maranhão que não deteve o assassino de 28 meninos pelas periferias do Maranhão durante 12 anos. Famílias dilaceradas. O jornalístico também denunciou a péssima situação das casas entregues às famílias das vítimas como “Indenização”.

Na próxima quinta, a reportagem continuará a desvendar o serial killer que pode ter feito mais vítimas além dos limites do Maranhão. Esse é o mote do “Repórter Record Investigação” que esmiúça o personagem ou fato que perturba o telespectador. A longa reportagem ganha o merecido espaço em um jornalístico que sempre prezou pela excelência do verdadeiro jornalismo.

Adriana poderia comandar sua própria reportagem nas próximas edições. Ficar no estúdio é pouco para a competência da profissional.

Adendo: uma justiça histórica ocorreu nesta quinta (23/07) na segunda edição do “Mestre do Sabor”. Dario, que já deveria ter sido finalista e vencedor do “MasterChef Profissionais”, teve o seu talento reconhecido na tela da TV Globo. Parabéns.

Fabio Maksymczuk

quarta-feira, 22 de julho de 2020

SBT impressiona telespectador com instabilidade


Olá, internautas

O SBT continua a impressionar o telespectador com a instabilidade na grade de programação vespertina. A emissora enfrenta uma situação crítica, principalmente na faixa compreendida entre 15h15 às 16h30.

Desde a transformação do Fofocalizando, que já enfrentava percalços no IBOPE, no “Triturando”, o canal fica na casa dos 3 pontos de média com frequência. A Band e até mesmo a RedeTV! chegam a “encoxar” os domínios de Silvio Santos.

O SBT apostou suas fichas em Ana Paula Renault, personagem que carrega expressiva taxa de rejeição em parte considerável do público. A estratégia sucumbiu. Ela ficou com a vaga de Livia Andrade. A “insubordinada” do Jogo dos Pontinhos se mistura à imagem do SBT há mais de uma década. Mesmo assim, foi rifada. Já Flor substituiu Mara. Também sem êxito.

Diante de tal quadro, a emissora resolveu remexer a faixa horária. Triturando saiu do ar. Entrou nesta quarta (22/07), de supetão, “Notícias Impressionantes” somente com Chris Flores no estúdio. Ela apresenta as notícias e comenta em seguida. Ficou sem dinamismo. Faltou algum companheiro ou companheira em cena. Há boatos que o Triturando, por incrível que pareça, retornará ao ar nesta quinta-feira (23/07). A estratégia “tira, põe, deixa ficar” retornou com veemência.  

Na realidade, o SBT deveria reformular totalmente a atração que ocupa a faixa vespertina. O grafismo do “novo” Noticias Impressionantes é o mesmo do Triturando que veio do Fofocalizando. Isso também é percebido no cenário. Para o telespectador, é o mesmo programa com o DNA original do Fofocando.

O telespectador já emitiu o seu sinal.

Fabio Maksymczuk

segunda-feira, 20 de julho de 2020

Record erra com segunda temporada de "Top Chef Brasil"


Olá, internautas

Na última semana, a Record TV estreou a segunda temporada do “Top Chef Brasil”. O talent show comandado por Felipe Bronze foi um dos fiascos na programação da emissora da Barra Funda no ano passado. Baixa repercussão.

Mesmo assim, o canal insiste no formato. Igual ao “The Four” que, mais uma vez, em uma segunda temporada, garantiu baixos índices de audiência. “Top Chef 2” já sinalizou que seguirá o mesmo caminho. No primeiro episódio, amargou 3 pontos de média. Só para uma breve comparação: A Fazenda registra índices ao redor dos 10 pontos.

A competição culinária segue o rastro dos correlatos. “MasterChef” é o melhor produzido no Brasil. Para quem é fã do gênero, é quase impossível não comparar as duas atrações, sendo que uma é exibida às terças e a outra às quartas.

O trio formato por Felipe Bronze, Ailin Aleixo e Emmanuel Bassoleil não passa o mesmo sincronismo que Erick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça. A edição do programa da Record TV também não envolve o telespectador. Não cria emoção e expectativa.

“Top Chef Brasil” é um talent show sem “tompero”. Falta sal. Falta pimenta. Falta liga.

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 17 de julho de 2020

SBT rompe monopólio da TV Globo


Olá, internautas

Um fato a ser comemorado aconteceu nesta semana. O SBT conseguiu romper o monopólio da TV Globo na transmissão do futebol. O presidente Jair Bolsonaro assinou a MP (Medida Provisória) 984, que dá o direito de arena e transmissão de jogos apenas ao time mandante de partidas.

O Flamengo entrou em conflito com o Grupo Globo diante da novidade. Na realidade, o time carioca pretenderá transmitir os jogos, através de seu próprio canal FlaTV. E todas as outras equipes tenderão a apostar nesse caminho. A transmissão esportiva, que ainda é um pilar na televisão, deverá ganhar novos contornos.

Mesmo assim, a televisão ainda possui um vasto poder de penetração no Brasil e os times não poderão dispensar essa força. Por isso mesmo, as outras emissoras, além da Globo, ganharão mais oportunidade de transmitir as partidas. Isso gerará mais empregos e maior competitividade no meio esportivo.

Com tal premissa, os jogos deverão ganhar também um melhor horário de transmissão. Com o monopólio da TV Globo, os jogos iniciam às 22 horas nas quartas-feiras, por exemplo. Ruim para os telespectadores, espectadores nos estádios, imprensa e até para os próprios jogadores. Um total absurdo que persiste há anos.

Além disso, será mais provável que diferentes canais transmitam diferentes partidas. E não o mesmo jogo ao mesmo tempo, como ocorria na dobradinha Globo-Band.  

Mesmo com um jogo que envolvia times cariocas, o SBT ampliou sua audiência em 69% na Grande São Paulo, além de ter liderado os índices no Rio de Janeiro. O telespectador sempre ganha com mais opções.

Fabio Maksymczuk

quarta-feira, 15 de julho de 2020

Band encontra boa saída no "MasterChef 7"


Olá, internautas

A pandemia do novo Coronavírus atingiu em cheio a produção de telenovelas, realities shows e demais atrações da TV brasileira. As emissoras apostam na criatividade para encontrar uma saída dentro do atual panorama.

A Band resolveu reprisar, inicialmente, a primeira temporada do “MasterChef Profissionais”, exibida originalmente em 2016. Foi uma boa edição, exceto a grande final que gerou muita polêmica com a definição dos finalistas, a revelação das notas dos jurados e a escolha de Dayse Paparoto como a grande vencedora.  A incongruência do discurso, principalmente de Paola Carosella, e as notas dadas a Marcelo Verde é uma das manchas da história da competição culinária até hoje.

Nesta reprise, a Band condensou a semifinal e a grande final em um único programa. Além disso, “camuflou” as polêmicas notas. A edição passou direto para a revelação do nome de Dayse como a vencedora. Complicado.

O repeteco da versão profissionais serviu como aquecimento para a sétima edição do MasterChef com amadores. A Band encontrou uma boa saída para a produção de episódios inéditos neste ano.
Agora, a cada terça-feira, Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella escolhem o vencedor da noite que fatura o troféu do talent show, além de 5 mil reais e alguns outros prêmios. Neste primeiro episódio, oito competidores encararam a primeira prova. Dois foram eliminados após o “esculacho” dos jurados. Ficaram seis que disputaram a preferência do trio.

O morador da Brasilândia, bairro da periferia paulistana, Hailton, venceu a rodada com um parto singelo de arroz, feijão, fígado e salada de repolho. A comida caseira ganhou destaque nesta estreia. O discurso de superação do “negro periférico” emocionou os jurados. Enfatizou que sua mãe comprava fígado, já que era mais acessível em sua casa pelo preço mais baixo. A personalidade carismática de Cecilia, outra afrodescendente, também chamou a atenção do telespectador.

A Band encontrou uma forma de oferecer conteúdo inédito ao público. Caso aconteça alguma paralisação nas gravações, por contaminação de algum integrante da atração, o andamento do talent show não ficará prejudicado. Cada edição é solo. Precaução. Esse é o mote da sétima temporada. Além disso, a atração que emenda uma temporada atrás da outra, ganha uma novidade dentro do processo natural de desgaste do formato. Boa saída.

Fabio Maksymczuk  

segunda-feira, 13 de julho de 2020

Reportagem polêmica marca estreia de Carolina Ferraz no "Domingo Espetacular"


Olá, internautas

Neste domingo (12/07), Carolina Ferraz estreou no comando do “Domingo Espetacular”. A revista eletrônica da Record TV também ganhou um cenário virtual reformulado. O pacote gráfico recebeu novos retoques. Na realidade, a nova identidade visual lembra o “Leitura Dinâmica”, da RedeTV!.

Os apresentadores pouco acrescentam à atração. Eduardo Ribeiro e Carolina basicamente leem as chamadas. A nova apresentadora apareceu em uma reportagem sobre os impactos da pandemia do novo Coronavírus nos restaurantes self service. Muito pouco. A apresentadora precisa ser mais explorada. Entrevistas com outros artistas é uma boa ideia.

Porém, o que mais chamou a atenção nesta nova fase do “Domingo Espetacular” recaiu na reportagem que envolveu a Igreja Universal do Reino de Deus. A chamada destacou “perseguição a brasileiros podem abalar a relação entre Angola e o Brasil”. No entanto, a matéria enfocou que membros da IURD e as sedes da Igreja estavam sendo alvos de angolanos. E não os brasileiros como um todo.

Marcos Pereira apareceu na reportagem como vice-presidente da Câmara dos Deputados. O político também é bispo licenciado da IURD e já ocupou a vice-presidência da Record TV. Os tentáculos da Igreja chegaram a Brasília. Uma série de deputados e senadores lamentaram a perseguição. Até mesmo, o presidente da FIESP, Paulo Skaf, fez coro. O executivo ressaltou a “segurança jurídica” de investimentos brasileiros no país africano. Afinal, era uma reportagem sobre religião, negóci ou os dois juntos?.

Na realidade, “Domingo Espetacular” enfrenta um desgaste de conteúdo. A entrada de Carolina e o novo grafismo pouco alteraram pouco o cenário.

Fabio Maksymczuk   

sábado, 11 de julho de 2020

The Wall prende atenção no "Caldeirão do Huck"


Olá, internautas

Luciano Huck comemora, neste ano, duas décadas de “Caldeirão do Huck”. O apresentador, após um começo turbulento, se firmou nas tardes dos sábados. As outras emissoras, por outro lado, deixaram de investir na faixa vespertina neste dia da semana. Record aboliu “O Melhor do Brasil”. Raul Gil enfrenta há anos um desgaste de sua atração que não se renovou no SBT.

Huck sobressai com formatos. “Caldeirão” encontrou um caminho ao apostar em quadros independentes dentro do mesmo programa. Um exemplo disso ocorre no “The Wall”. O telespectador já conhecia o seu “primo pobre” na emissora de Silvio Santos com o “Jogo das Fichas”.

Huck comanda o formato original que preza por um cenário estonteante. O jogo de luzes traz modernidade ao game show. É uma versão “high tech” do velho jogo de perguntas e respostas que há décadas aparece na televisão brasileira. Huck consegue trazer emoção ao show.

Sempre há algum engajamento social dos participantes que envolve o telespectador. O próprio apresentador contribui na divulgação das ONGs e projetos em suas redes sociais, principalmente o Instagram.

Neste sábado (11/07), por exemplo, os desafiantes desejavam o dinheiro para expandir a fabricação de “cadeiras de rodas” para cachorros. Em semanas anteriores, uma dupla de rapazes desejava incrementar um “cursinho pré-vestibular” para jovens carentes. E assim por diante.

“The Wall” traz torcida, emoção e expectativa. Prende o telespectador à frente da TV. Um bom quadro dentro do “Caldeirão do Huck”.

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Marcelo de Carvalho reverbera discurso bolsonarista


Olá, internautas

 “Mega Senha” é um dos destaques positivos na programação da RedeTV!. É uma boa opção ao telespectador na noite de sábado ou em seu horário alternativo aos domingos.  Porém, de uns tempos para cá, a atração serve para propagar as opiniões do apresentador e vice-presidente da emissora, Marcelo de Carvalho.

Cada vez mais à vontade, o executivo transforma o seu púlpito de comunicador para reverberar o discurso do presidente Jair Bolsonaro diante da pandemia do novo Coronavírus.

A cada edição, Carvalho critica, ferozmente, o isolamento social como forma de diminuir o contágio da doença. “É uma bobagem”, disparou no último sábado (04/07). De acordo com o apresentador, em nenhum país do mundo, a quarentena evitou a propagação da Covid-19. O executivo ressaltou a necessidade de o País engrenar a atividade econômica para a geração de empregos. 

O palanque eleitoral também se faz presente. Carvalho sempre enaltece o governo Bolsonaro que promovia o crescimento econômico e criticou, visceralmente, o prefeito Bruno Covas por adotar o distanciamento social e ter fechado o comércio. É bom lembrar que o “Mega Senha” é patrocinado pela Havan, conglomerado de Luciano Hang, entusiasta do presidente Bolsonaro.

Carvalho perdeu o foco. “Mega Senha” é um programa de entretenimento. Suas opiniões políticas e partidárias deveriam ser emitidas em suas redes sociais e em entrevistas. Com tal postura, a rejeição ao seu nome fica cada vez mais crescente.

Fabio Maksymczuk    

terça-feira, 7 de julho de 2020

Band reverencia Luciano do Valle com justa homenagem


Olá, internautas

No último domingo (05/07), a Band exibiu um programa especial em homenagem a Luciano do Valle, que completaria 73 anos no sábado (04/07). A atração, comandada por José Luiz Datena, contou com uma série de depoimentos de profissionais e ex-atletas que marcam o esporte brasileiro, como Galvão Bueno, Cleber Machado, Hortência Marcari, Magic Paula, Neto, Emerson Fittipaldi, entre outros.

Um dos depoimentos mais marcantes do especial surgiu com José Bonifácio de Oliveira Sobrinho. Boni revelou que preferia acompanhar as transmissões esportivas com a narração do Luciano do Valle, mesmo fora da TV Globo.

O especial teve o mérito de pincelar os principais momentos de sua trajetória na Band. A vitória fantástica de Emerson Fittipaldi nas 500 Milhas de Indianápolis pela Fórmula Indy ganhou mais emoção com a narração de Luciano.

Outro momento que merece ser mencionado ocorreu com a conquista do Mundial de Basquete Feminino por Hortencia, Paula, Janeth e companhia. É um dos mais importantes títulos do esporte brasileiro. Infelizmente, ficou ofuscado pela conquista do tetra da seleção masculina de futebol em 1994. A Band, aliás, transmitia as partidas do basquete feminino entre os clubes brasileiros, como o BCN. Hoje, a modalidade enfrenta uma decadência permanente.

O futebol feminino, sempre defendido pelo locutor, também apareceu na edição, assim como as lutas históricas de Maguila, a conquista do tetra e da Copa das Confederações de 2013 pela seleção brasileira de futebol masculino, NBA, entre outras modalidades. O programa “Apito Final” foi pincelado.

Em duas horas, a edição conseguiu reunir os momentos marcantes de sua trajetória que se confundem com o esporte brasileiro. Luciano do Valle sempre deve ser reverenciado. Após o especial, a Band exibiu o confronto histórico entre Corinthians e São Paulo pela grande final do Brasileirão de 1990 com a narração do próprio Luciano do Valle. A partida é uma das maiores audiências do então “canal do esporte” até hoje com 53 pontos no IBOPE. Domingo de nostalgia.

Fabio Maksymczuk

sábado, 4 de julho de 2020

Ratinho adota postura pró-Bolsonaro


Olá, internautas

O SBT começou a retomar a gravação de alguns programas durante a pandemia do novo Coronavírus. O “Programa do Ratinho” é um deles. A edição inédita vai ao ar às sextas-feiras.

Nesta sexta-feira (03/07), por exemplo, o comunicador estava no palco ao lado apenas das assistentes Milene Pavorô e Valentina Francavilla. Ratinho interagiu com a dupla Edson e Hudson, Mariane Dombrova e André Vasco, pelo telão, no quadro Resposta Premiada. Um fato chamou a atenção neste momento.

O camundongo questionou, para Hudson, qual era o nome verdadeiro de Jamelão. O cantor respondeu José Alves. No gerador de caracteres, a resposta João Alves foi apontada como a certa. Porém, o nome correto é realmente José Alves.

Nesta edição inédita, um fato realmente chamou a atenção. Na passagem para o intervalo comercial, a atração do SBT exibe a foto das pessoas que venceram a batalha do novo Coronavírus. Ao contrário do “Jornal Nacional”, por exemplo, que sempre destaca na tela o número de mortos pela Covid-19.

Além disso, o animador entrevistou o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, sobre o auxílio emergencial. O executivo perdeu espaço no "Brasil Urgente", na Band, após a revelação da polêmica reunião presidencial. Ratinho se alinha ao discurso do presidente Jair Bolsonaro.

Aliás, o apresentador fez questão de ressaltar o apoio aos ideais do “líder da Nação” em entrevista a José Luiz Datena no Youtube.

Durante o bate-papo, Ratinho detonou a imprensa brasileira. "É uma perseguição. A imprensa pensa em derrubar o Poder... A esquerda está nas redações dos jornais do Brasil", detonou o camundongo sobre a relação da mídia com o presidente.

"O eleitor do Bolsonaro é o evangélico, é o policial militar, é o policial civil", defendeu. O empresário e apresentador acredita que o governo Bolsonaro não é manchado por casos de corrupção, como os governos estaduais.

"O Supremo não tem que se meter", disparou sobre o conflito institucional com o governo Bolsonaro. Ratinho ainda disse que o Brasil tem o melhor ministro da Economia do mundo, Paulo Guedes.  Há alguns anos, durante os governos petistas, o animador do SBT sempre ressaltava que o ex-presidente Lula era seu amigo. 

Ratinho é uma das faces da guerra midiática que ocorre atualmente nos bastidores do Poder. Carlos Massa se transformou em um dos empresários mais influentes, especialmente, no Paraná. E sempre é válido lembrar que seu filho, Ratinho Junior, é governador do Estado.

Fabio Maksymczuk