Páginas

domingo, 23 de junho de 2019

"Carcereiros" cresce com depoimentos reais


Olá, internautas

"Carcereiros" ganhou segunda temporada na TV Globo. A série agora é exibida na segunda faixa após “A Dona do Pedaço” às terças-feiras. No ano passado, a produção era colada na novela das nove às quintas-feiras.

Por isso mesmo, a repercussão é menor. Mesmo assim, “Carcereiros” permanece com um resultado positivo na tela. O primeiro episódio da nova safra trouxe uma ótima atuação de José Loreto que viveu o “transtornado” Paraíba. Monica Iozzi também surgiu como outra participação especial. A atriz interpretou uma agente que lia e “peneirava” as cartas endereçadas aos presos. Até aqui, foi o melhor episódio desta segunda temporada. Roteiro muito bem desenvolvido.

O segundo episódio contou com Thiago Martins e a história surpreendente dos irmãos gêmeos. Outro momento alto da série. As participações especiais engrandecem a atração. Helena Rinaldi também entrou em “Carcereiros” e protagonizou outro “conto” instigante. O desfecho de alguns episódios pega “no pulo“ o telespectador.

A morte do agente penitenciário Valdir, vivido por Tony Tornado, marca a segunda temporada. O personagem se despediu após um atentado provocado por um marido traído. Outro desfecho surpreendente, já que muitos acreditavam na ameaça de um detento. A vitalidade do ator de 89 anos chama a atenção.

Em meio às cenas, depoimentos reais de agentes penitenciários fortalecem o tom realista da produção. E é exatamente esse ponto o grande mérito da produção. Joga luz nos profissionais esquecidos pela sociedade, através da teledramaturgia.

Por outro lado, “Carcereiros” perde fôlego ao enfocar o drama pessoal de Adriano (Rodrigo Lombardi) que vive um romance com a presidiária Erika (Letícia Sabatella). O agente penitenciário enfrenta o outro lado da moeda ao encarar os dilemas das pessoas que visitam os presos, dentre as quais a humilhação da revista. Porém, o melodrama do personagem não combina com o tom realista da produção.

Mesmo com tal observação, “Carcereiros” é uma série de destaque na TV Globo.

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Morte de Rubens Ewald Filho deixa lacuna


Olá, internautas

Nesta quarta-feira (19/06), a morte de Rubens Ewald Filho chamou a atenção no noticiário. No mês passado, o crítico de cinema sofreu um desmaio e despencou de uma escada rolante em um shopping de São Paulo. Desde esse fato, encontrava-se internado em estado grave.  

Ewald Filho deixa uma lacuna enorme na TV brasileira. O jornalista sempre cobria, com brilhantismo, as transmissões da cerimônia do Oscar. Nos anos 90, ao lado de Marilia Gabriela, trazia seu vasto repertório cinematográfico na cobertura do SBT. Emprestava sua credibilidade para o canal que conseguiu tal feito, derrubando os direitos da TV Globo naquela oportunidade.

De uns tempos para cá, o crítico assumiu o posto de comentarista na cobertura do Oscar no canal pago TNT.  Infelizmente, no ano passado, Ewald Filho foi acusado de transfóbico por um comentário sobre a atriz trans Daniela Veja. “Essa moça, na verdade, é um rapaz”. Uma enxurrada de mensagens negativas eclodiu nas redes sociais. A TNT desvalorizou a história do jornalista e, simplesmente, não escalou o crítico no Oscar deste ano. Total absurdo.

E agora Rubens Ewald Filho sai de cena com uma polêmica que, vale ressaltar, não mancha a sua trajetória profissional.

Meus sinceros pêsames a amigos, familiares e fãs do jornalista. Descanse em paz.  

Fabio Maksymczuk

terça-feira, 18 de junho de 2019

"Papo de Bola" enfrenta desafios na RedeTV!


Olá, internautas

A faixa entre 18 horas às 19h30 é turbulenta na RedeTV!. A emissora realiza diversas experiências sem sucesso nos índices de audiência. O bloco sucede o horário alugado para a Igreja Universal do Reino de Deus.

“Tricotando” surgiu como uma overdose de fofocas na grade de programação. Está ali sem grande repercussão. Val Marchiori foi contratada para reverter o quadro.

Em seguida, às 19 horas, agora entra o “Papo de Bola” comandado por Edie Polo. O apresentador já ocupou a faixa horária com o Edie Zap que despertava alguma curiosidade no telespectador pelos modos histriônicos do jornalista. Esse estilo permanece no comando do esportivo.

Ele tenta criar uma identidade própria para a atração. Recentemente, Edie pedia que o comentarista falasse por apenas 15 segundos. Tempo cronometrado. As discussões sobre os jogos de futebol recheiam a atração que, aliás, tem o mesmo nome de um blog famoso na internet. Aliás, do colega Edu Cesar que visitava esse espaço.

A RedeTV! já experimentou o “Bola na Rede” na faixa das 18 horas. Sem êxito. Enfrentava o tradicional Gazeta Esportiva, da TV Gazeta. Agora, “Papo de Bola” vai ao ar sem programas esportivos nas concorrentes da TV aberta. Porém, precisa despertar o interesse no telespectador que aprecia acompanhar os debates futebolísticos. E para piorar, o “Tricotando”, que antecede na programação, tem um público majoritário feminino que não acompanha o “mundo da bola”. Desafio redobrado.

Fabio Maksymczuk

domingo, 16 de junho de 2019

Xuxa faz périplo no SBT e Record


Olá, internautas

Xuxa Meneghel faz um verdadeiro périplo na programação da Record e SBT. A apresentadora, de forma surpreendente, transformou-se em atração principal em atrações da emissora de Silvio Santos.

Inicialmente, a loira surgiu no “Programa da Maisa”. Ela respondeu ataques dos haters. Em um determinado momento, ressaltou: “As pessoas não aceitam eu ficar velha. Aceita que dói menos, porque eu me aceito tanto e curto cada ruga minha”. Tal declaração ficou comum em recentes entrevistas.

Depois, Xuxa apareceu no “Hora do Faro”. Durante o bate-papo com o apresentador, surgiu um momento interessante no palco da atração da Record. Ela encontrou a sua sósia Cécile Loreen, chamada de Xuxa holandesa.

Já neste domingo (17/06), a apresentadora ressurgiu no SBT, mais precisamente no programa “Eliana”. Voltou a falar sobre “ficar velha” e a rejeição das pessoas em relação a isso. “Eu acho que essas pessoas são mal comidas”, disparou sobre os ataques que sofre nas redes sociais. Também aproveitou a oportunidade para comentar o boato do propagado “pacto com o diabo”.

Na realidade, Xuxa, há tempos, tenta desconstruir sua imagem de “rainha” e “inatingível”, elementos que foram agregados em sua imagem. A apresentadora elevou os índices do programa de Maisa, ajudou Faro a conquistar a vice-liderança, posto que encontra dificuldades em alcançar neste ano, mas já não surtiu efeito em “Eliana”, o que demonstra um certo cansaço do telespectador com a presença constante da loira no vídeo em um curto espaço de tempo.  

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Futebol feminino e caso Neymar ofuscam Copa América


Olá, internautas

Nesta sexta-feira (14/06), a “Copa América” iniciou em terras tupiniquins. Sem grande estardalhaço, a seleção brasileira derrotou o selecionado boliviano por 3 a zero. Na TV aberta, a TV Globo detém o monopólio da transmissão.

A competição iniciou sem despertar grande interesse no brasileiro. Alguns desconheciam que o Brasil sediaria o torneio e outros sequer sabiam que começaria hoje. Na realidade, a Copa América se vê ofuscada pela Copa do Mundo de Futebol Feminino que, pela primeira vez, ganha amplo destaque na programação da TV Globo.

O Mundial Feminino sempre foi valorizado pela Band. Luciano do Valle, que deixa saudades nos telespectadores até hoje, aparecia como um baluarte da modalidade esportiva. O craque Neto tem razão ao afirmar que o futebol feminino faz parte do DNA da emissora do Morumbi.

A TV Globo acerta ao valorizar a competição que perpassou por diferentes programas do canal, antes da estreia da seleção de Marta, Cristiane, Formiga e companhia na França. “Globo Repórter” exibiu um especial sobre Marta. “Esporte Espetacular” transmitiu uma série sobre a trajetória de afirmação do futebol feminino no País. Trouxe uma curiosidade histórica: a prática das boleiras foi proibida durante 40 anos por lei no Brasil. Um total absurdo sob a ótica de hoje. “Mais Você”, “Encontro com Fátima Bernardes” e Conversa com Bial entraram nesta onda.

A Copa América também fica “de canto” pela intensa cobertura da mídia com o caso Neymar. A confusão que envolve o melhor jogador desta geração arranhou a camisa canarinho. Parte dos telespectadores encontra-se mais interessada em acompanhar a superação das mulheres nos gramados ao invés de assistir às jogadas dos milionários jogadores.

Infelizmente, a seleção feminina de futebol caminha para o perigoso destino do basquete feminino. A geração de Hortência, Paula e Janeth não frutificou. A renovação é essencial para a sucessão de Marta, Cristiane, Formiga, entre outras.

Fabio Maksymczuk  

terça-feira, 11 de junho de 2019

O Aprendiz e MasterChef sofrem interrupção desnecessária


Olá, internautas

Sempre defendemos, neste espaço, que a Band jamais deveria ter abandonado o esporte. As transmissões esportivas encontram-se no DNA da emissora do Morumbi. De uns tempos para cá, o canal começa a dar sinais que pretende resgatar tal característica.

Após quase 20 anos, a Rede Bandeirantes resolveu transmitir os jogos das finais da temporada 2018-2019 da NBA entre Toronto Raptors e Golden State Warriors. Porém, a cobertura do torneio internacional de basquete interrompeu a exibição de “O Aprendiz”, que já entrou na reta final, e “MasterChef Brasil”.

O canal quebrou o hábito do telespectador. No talent show culinário, a emissora precisa fortalecer ainda a exibição aos domingos. A entrada da NBA complica esta estratégia.

E o telespectador brasileiro, em sua grande maioria, possui uma fraca ligação com esse torneio. O público das duas atrações sentiu-se prejudicado.  

Por outro lado, a transmissão da Copa do Mundo de Futebol Feminino é um acerto, já que a Band sempre abraçou a modalidade esportiva desprezada pelas outras emissoras da TV aberta. Luciano do Valle deve ser reverenciado. Ele se tornou um símbolo de valorização do selecionado de Marta e companhia.

A entrada da NBA atrapalhou a programação.

Fabio Maksymczuk

domingo, 9 de junho de 2019

Record ressuscita sábado com "Vale a Pena Ver Direito"


Olá, internautas

Sem grande divulgação, a Record TV resolveu ressuscitar a programação dos sábados. Ontem (08/06), a emissora da Barra Funda desenterrou “Vale a Pena Ver Direito”, antigo quadro do extinto “Legendários”. Era um dos melhores momentos de Marcos Mion à frente de sua atração.

Na realidade, o quadro vem dos idos tempos de MTV quando o apresentador “dissecava” os videoclipes. Supla era “rei”. Japa, japa, girl in Brazil...

Agora, nesta estreia como programa, de fato, Mion analisa os participantes da quarta temporada do “Power Couple Brasil”. Em meia hora ao lado do Mionzinho, que também retornou ao vídeo, o apresentador capturou os momentos nonsenses do elenco, principalmente Elieser Ambrosio.

O ex-BBB teve sua sunga vermelha como foco. Tudo por conta de uma pegadinha de Lucas Salles. O paranaense caiu e teve um chilique quando percebeu que era uma armação do ex-CQC. E ele estava trajado com a tal sunga vermelha. Risada na certa com os comentários de Mion.

A Record acertou ao trazer a atração no sábado, o dia mais fraco de sua programação. Desde a saída de O Melhor do Brasil, há um buraco enorme na grade vespertina atualmente ocupada por um filme.  Com a extinção do Legendários e Programa da Sabrina, a emissora resolveu reprisar toda a temporada do Troca de Esposas e exibir um compacto de “Jezabel” que já não vai bem nos índices de audiência durante a semana.

A Record precisa investir neste dia da semana. O SBT abre boa vantagem com produções inéditas.

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Caso Neymar vira reality na TV brasileira


Olá, internautas

O caso Neymar invadiu o noticiário da TV brasileira. De programas matinais, passando por vespertinos até telejornais no horário nobre, a grave acusação de Najila Trindade domina vasto espaço.

Nesta quarta-feira (05/06), Roberto Cabrini furou toda a mídia com a entrevista exclusiva da modelo que, até então, tinha a sua identidade preservada. O jornalista, mais uma vez, sobressai em toda a cobertura televisiva em casos que agitam a sociedade brasileira.
   
A acusação de agressão e estupro que recai no jogador ganha contornos de reality show. A cada dia, um capítulo da “Novela da vida real” é jogado no colo do telespectador. A estreia ficou marcada pela denúncia. Em seguida, o próprio Neymar divulgou, no Instagram, a conversa que teve com a moça. Piadas com o bate-papo entre os dois eclodiram nas redes sociais.

O “Neymar pai” concedeu uma entrevista exclusiva para o “Aqui na Band”. Posteriormente, um frame do vídeo, que sugeria a agressão do craque, surgiu no “Cidade Alerta”. Luiz Bacci e Percival de Souza analisaram à exaustão a imagem. Depois, a entrevista exclusiva de Najila no “SBT Brasil”. 
Mais tarde, o vídeo com os tabefes da modelo em Neymar conquistou repercussão.  Aliás, são alguns segundos. Dizem que o material possui mais de 7 minutos. Cenas dos próximos episódios desse grande reality show.

Mauro Naves foi o primeiro eliminado desse imbróglio. O veterano jornalista passou o contato do pai de Neymar para o ex-advogado de Najila. William Bonner, no "Jornal Nacional desta quarta, incorporou Pedro Bial e comunicou o afastamento do repórter da cobertura esportiva da emissora. 

Essa gravação também lembrou o Teste de Fidelidade do programa de João Kleber. Só faltou os apresentadores de diferentes emissoras soltarem: “para, para, para”.

E há ainda a contusão de Neymar que caiu no gramado durante o amistoso contra o Catar nesta quarta. Todas as câmeras em sua direção.  Como acontece em qualquer reality, há o mocinho (ou mocinha) e o vilão (ou vilã). Essa história ainda tem fôlego.  A novela da vida real caiu no gosto popular. “Está tudo gravado”.

Fabio Maksymczuk

terça-feira, 4 de junho de 2019

Juliana Paes, Paolla Oliveira e Caio Castro destoam em "A Dona do Pedaço"


Olá, internautas

“A Dona do Pedaço” entrou na segunda fase. A novela de Walcyr Carrasco já elevou os índices de audiência da TV Globo. A trama já conquistou 37 pontos de média, patamar jamais alcançado pela antecessora “O Sétimo Guardião”.

Apesar disso, três atores destoam negativamente nesta etapa do folhetim. Juliana Paes, que protagoniza a produção, incorporou um sotaque estranhíssimo. Maria da Paz, agora ricaça, mais lembra uma personagem do “Zorra Total” com seu bordão “Tô pagando“. Ela lembra em nada a jovem da primeira fase. É um ruído grave que marca a novela das nove.

Paolla Oliveira, que vive a “digital influencer” Vivi Guedes, também aposta em uma caricatura dos influenciadores na interpretação. “Oi, seguimores”, brada a personagem em um tom anedótico. Tanto Paolla quanto Juliana foram destaques positivos em “A Força do Querer”. As duas encontram-se fora do tom.

Já Caio Castro parece que ressuscitou Grego de “I Love Paraisópolis” em “A Dona do Pedaço”. Rock aparece com o mesmo sotaque e trejeitos do personagem da novela das sete. O ator sobressaiu em “Novo Mundo” com um trabalho de esmero.

Juliana, Paolla e Castro ainda tem uma longa trajetória. Mais de uma centena de capítulos pela frente. A direção precisa ajustar o trio para não tirar o brilho da obra.

Fabio Maksymczuk

domingo, 2 de junho de 2019

"Aqui na Band" estreia com desafios


Olá, internautas

“Aqui na Band” chegou à programação da Rede Bandeirantes. Na semana de estreia, a atração de Luis Ernesto Lacombe e Silvia Poppovic não elevou os índices de audiência das manhãs da emissora. Chegou a 1 ponto de média sempre com arredondamento para cima.

O programa aposta em um formato fixo. Nos primeiros minutos, Lacombe e Silvia comandam o bloco de notícias sempre com alguma opinião dos apresentadores. Na última sexta-feira (31/05), Lacombe criticou a manifestação em prol da Educação realizada no dia anterior. De acordo com o jornalista, os manifestantes foram incoerentes ao defenderem a educação e a não aprovação da Reforma da Previdência. Além disso, sugeriu que a mobilização ocorresse aos finais de semana para não atrapalhar o trânsito. Essa é a linha editorial do Grupo Bandeirantes que já deu a sua cara no matinal. Lacombe incorporou sem receio.

Em seguida, entrou com maior frequência o debate liderado pelo médico Fernando Gomes. A atração já debateu cirurgia bariátrica, infecção urinária e inseminação artificial. As pautas sobre saúde surgiram como o maior destaque nestes primeiros programas. Neste ponto, ainda há um desafio. Gomes e Silvia ainda não passaram entrosamento no vídeo. A impressão é que a apresentadora passa à frente do doutor em alguns momentos. 

Nana Rude participou apenas da estreia da atração, mas o sinal amarelo já acendeu em sua participação. O colunista precisa passar informações sobre as celebridades que não sejam “requentadas”. Nathan destacou o imbróglio entre Carlinhos Maia e Whindersson Nunes, fato que já tinha sido amplamente noticiado na semana anterior.  

O advogado do povo, que defende os direitos do consumidor, Sérgio Tannuri, e Nathalia Batista, colunista de moda, também passaram na semana da estreia. A chef Luiza Hoffmann sempre comanda o momento da culinária nos últimos 20 minutos da atração. Isso poderia ser revisto. Neste momento, “Aqui na Band” faz a transição para o esportivo “Jogo Aberto” com público majoritariamente masculino. No bloco final, a revista eletrônica poderia focar neste telespectador. O quadro culinário deveria ser exibido apenas em alguns dias da semana.

Caixa da Fortuna é visivelmente a marca de Vildomar Batista na nova aposta da Band. Nada contra. Traz alguma diferenciação sobre os correlatos.

Neste início, Lacombe e Silvia respeitaram o espaço do outro. Isso é fundamental para o sucesso da atração. “Aqui na Band” enfrentará alguns desafios pela frente para capturar o zapping do telespectador. É necessário criar uma identidade própria.

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 30 de maio de 2019

RedeTV! acerta em mudança de "Olga"


Olá, internautas

Em virtude da estreia do “Aqui na Band”, a RedeTV! resolveu remexer a grade matutina de programação. Agora, João Kleber entra com o seu “Você na TV” às 9h30. Já “Edu Guedes e Você” vai ao ar às 10h45. Olga, que mal estreou na emissora de Dallevo e Carvalho, agora foi realocada para o meio-dia.

O canal acertou na estratégia. Olga Bongiovanni ocupava a faixa das 10 horas. Enfrentava atrações com público semelhante ao seu, como “Mais Você” com Ana Maria Braga, “Encontro” com Fátima Bernardes, “Hoje em Dia” e até o “Revista da Cidade” na TV Gazeta. O “cardápio” fica ainda mais congestionado com Silvia Poppovic e Luis Ernesto Lacombe na nova aposta da Band.

Agora, a apresentadora da RedeTV! encontra um terreno com menos concorrentes diretos. A atração segue o formato clássico dos femininos. O lado esotérico ganha espaço. Nesta semana, a sensitiva Marcia Fernandes analisou a tragédia que vitimou o cantor Gabriel Diniz. Já Edu Scarfon, que conquistou reconhecimento no quadro Paranormais do Domingo Legal, passa as novidades dos signos. Olga também comanda corriqueiramente quadros de dicas de dieta e nutrição.

A apresentadora ainda faz matérias externas e recebe, no estúdio, a jornalista Fabi Teixeira que passa as notícias das celebridades, o que é uma erva-daninha na programação da RedeTV!. Nesta quinta-feira (30/05), por exemplo, a jornalista destacou o entrevero entre Carlinhos Maia e Whindersson Nunes, fato já amplamente abordado pelos correlatos da casa desde segunda. Seja no A Tarde É Sua, Tricotando e TV Fama. Pauta desnecessária.

Mesmo com um velho formato conhecido do público (até com a presença dos “merchans”), Olga possui uma personalidade própria. E é ela a grande marca da atração. Bongiovanni é uma apresentadora que tem um público fiel e precisa ser respeitada pela sua história na televisão.

Fabio Maksymczuk  

segunda-feira, 27 de maio de 2019

TV brasileira se mobiliza com morte de Gabriel Diniz


Olá, internautas

Nesta segunda-feira (27/05), a TV brasileira se mobilizou com a morte de Gabriel Diniz, vítima fatal em um acidente aéreo ocorrido no Sergipe. O cantor alcançou sucesso meteórico com o hit Jenifer neste início de 2019.

A TV Globo derrubou a programação vespertina com a tragédia que também vitimou Linaldo Xavier e Abraão Farias. A Sessão da Tarde foi interrompida para o plantão do Jornal Hoje. Sandra Annenberg comandou a cobertura que varreu a tarde da emissora. O canal confirmou a morte do artista antes da Record TV.

Enquanto a emissora platinada anunciava “Morre o cantor Gabriel Diniz” no vídeo, Reinaldo Gottino adotou uma postura mais conservadora no “Balanço Geral”. Somente após a divulgação da TV Globo, o jornalista bradou: “Morre no auge Gabriel Diniz”.

Após o término do quadro “A Hora da Venenosa”, a Record TV derrubou as reprises de Bela, a Feia e Caminhos do Coração para o plantão. Gottino continuou no estúdio ao lado de Renato Lombardi e Fabiola Reipert.

Já na TV Globo, Sandra passou o bastão para Renata Vasconcellos que continuou a cobertura da morte de Gabriel Diniz na bancada do “Jornal Nacional”. Muitas informações eram repetidas a todo instante. A jornalista também lia mensagens de celebridades publicadas nas redes sociais.

Já na RedeTV!, Sonia Abrão também cobriu o acontecimento no “A Tarde É Sua”. Porém, o noticiário sobre a tragédia não cobriu toda a duração do programa. O mesmo ocorreu no “Fofocalizando” que não cedeu todo o seu espaço para a cobertura.

Na Record, Luiz Bacci comandou o “Cidade Alerta” inteiramente dedicado à tragédia aérea. O apresentador conseguiu uma entrevista com o pai de Gabriel Diniz e moradores da região onde o avião caiu. Fabiola Reipert ficou no ar durante toda atração do “menino de ouro”. Ficou no ar das 14 horas às 20 horas.

Datena também cobriu o acontecimento no “Brasil Urgente” que foi totalmente dedicado com a morte do cantor.

Nossas condolências a amigos, familiares e fãs de Gabriel Diniz.

Ps: aproveitamos o post para também prestar nossas condolências a amigos, familiares e fãs de Lady Francisco que faleceu no último sábado (25/05). Sempre admirei a atriz.

Fabio Maksymczuk

sábado, 25 de maio de 2019

Record retoma velho estilo com "Topíssima"


Olá, internautas

Nesta semana, a Record TV estreou “Topíssima”. A nova novela de Cristianne Fridman com direção de Rudi Lagemann sucede a reprise de “A Terra Prometida” que alcançou a boa marca de dois dígitos com frequência nos índices de audiência.

Após uma sucessão de produções inspiradas em textos bíblicos, a nova aposta produzida pela Casablanca retoma a contemporaneidade ambientada no Rio de Janeiro. “Topíssima” resgata a velha marca da teledramaturgia do canal. Cenas com muita ação. Correria. Polícia versus bandido. Morro versus asfalto.

O DNA da autora também transparece logo nestes primeiros capítulos. A questão das drogas ganhou amplo espaço. Em obras anteriores, Fridman já ambientou suas tramas com pedofilia (Chamas da Vida) e neonazistas (Vitória). Mesmo sendo exibida na faixa das sete, normalmente ocupada por histórias mais leves e cômicas na TV Globo, “Topíssima” já explorou overdose, assassinato, corrupção policial e tentativa de homicídio.  

A novela transcorre em um bom ritmo. O bom texto da autora também é outro ponto positivo até aqui. O casal protagonista também foi bem escolhido. Felipe Cunha ganha uma ótima oportunidade em sua carreira ao viver o líder comunitário Antonio. É um rosto não desgastado no vídeo. Ótimo.

Já Camila Rodrigues é símbolo atual da teledramaturgia da Record. A atriz já demonstra que está muito à vontade com a ricaça Sophia Loren. Outros atores experientes integram o elenco, com destaque para Cristiana Oliveira que interpreta Lara Alencar, mãe de Sophia; Floriano Peixoto, Eri Jhonson, Kadu Moliterno, Mauricio Mattar, Isabel Fillardis e Silvia Pfeifer. Há uma mescla interessante com jovens atores e outros nomes já velhos conhecidos do público da Record, como Denise Del Vecchio e Felipe Cardoso.  

“Topíssima” tem a missão de manter a vice-liderança isolada para a Record com uma trama atual. “Vitória”, que foi uma ótima novela, não conquistou esse objetivo. E foi a partir dali que a emissora resolveu apostar em “Os Dez Mandamentos” e trilha nesse estilo até agora.

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Programa companheiro - FABIOTV na Coletiva do "Aqui na Band"


Olá, internautas

Nesta quarta-feira (22/05), estive na Rede Bandeirantes. Acompanhei a coletiva do novo programa “Aqui na Band” que estreará na próxima segunda-feira (27/05), às 9 horas. Durante o encontro, as seguintes expressões foram ressaltadas para marcar a nova aposta da emissora do Morumbi: consultório médico, fofoca, culinária, moda, direitos de família, violência doméstica, direitos do consumidor com o “advogado do povo”, esporte, informação sobre mobilidade urbana e previsão do tempo.

O apresentador Luis Ernesto Lacombe resumiu a proposta do “Aqui na Band”. “Será um programa companheiro”, frisou ao comentar que a participação do telespectador será uma premissa através das redes sociais, como WhatsApp, Instagram, Facebook e Twitter, além do telefone fixo e e-mail. Já a apresentadora Silvia Poppovic revelou que terá o objetivo de fazer a integração entre jornalismo, entretenimento, seriedade e credibilidade.

Durante a coletiva do Aqui na Band, Lacombe insistiu em relembrar que não atuou apenas com jornalismo esportivo, mas também com hard news por 15 anos. Destacou sua passagem na GloboNews e cobertura de conflitos, como a eclosão das Torres Gêmeas.

Silvia Poppovic revelou que conversou com o diretor Vildomar Batista para inserir debates sobre comportamento na nova atração, mas ainda é uma ideia. Ela ressaltou que o seu programa vespertino da Band nos anos 90 foi muito mal copiado pelas coirmãs. “Virou um estereótipo”, lamentou.

Questionei a passagem de seis meses na JovemPan. Enfatizou que servia como contraponto à linha ideológica da rádio, mas preferiu sair diante da polarização. Ela ficou desconfortável com a minha pergunta. Notei isso.

Vildomar foi questionado sobre a meta de audiência. “Aos poucos conquistaremos o público. Não será de imediato”, ponderou. O diretor enalteceu uma novidade que seria uma das marcas do Aqui da Band. O programa contará, em sua integralidade, com a linguagem de sinais. Ele defendeu a ideia ao afirmar que 10 milhões de deficientes auditivos serão auxiliados com tal iniciativa.

Ao lado dos dois apresentadores, um time de colunistas preencherá o “Aqui na Band. A esposa do diretor Vildomar Batista, Nathalia Batista, é uma delas. Ela foi simpática e natural durante a nossa conversa. Disse que não humilhará as celebridades nas análises de moda. Essa é a maior preocupação. Adendo: eu não sou a favor de parentes trabalharem em uma mesma produção. Seja apresentador, atriz ou ator. Na própria Band, já tem a Catia Fonseca com o “diretor-marido”. Agora, o Vildomar com sua esposa. Fica o registro.



Conversei com Nana Rude que será o "fofoqueiro" do Aqui na Band. Disse que fará o noticiário dos famosos em um tom chique e com bom humor. Respondeu que não seguirá a linha da Day McCarthy, por exemplo. "Não é uma boa energia que traz para a pessoa", ressaltou. Gera ódio e fere crianças. Seria o lado errado, na opinião do Nana.

Para quem não fez a ligação, Nana Rude é o Nathan em “O Aprendiz”. Comentou que aceitou a proposta do reality já sabendo que entraria no novo programa. Reforço de identidade. Uma espécie de transição do Instagram para a TV. Tem objeções com a edição. Disse que falou e fez coisas que achava que seriam exibidos, mas não foram. Ele explicou que a equipe de produção gravava cerca de 14 horas diárias. A sala de reunião com o Justus dura mais de 2 horas e vai ao ar apenas 30 minutos.

O novo colunista também confidenciou que não percebeu aumento no número de seguidores com o reality, mas fez bons contatos com as marcas patrocinadoras da competição apresentada por Roberto Justus.

Veruska Boechat, esposa do falecido jornalista Ricardo Boechat, será um dos trunfos do programa. Durante a coletiva, ela afirmou que é uma das poucas pessoas que não é xingada nas redes sociais. “Recebo muito carinho das pessoas. Abraços nas ruas”, contou. Na atração, ela destacará histórias de mulheres batalhadoras.

O médico Fernando Gomes, que integrava o “Encontro com Fátima Bernardes”, também foi abordado pelos colegas jornalistas. Ele agradeceu à TV Globo pela oportunidade, mas na Band ele poderá continuar com sua missão de passar conhecimentos de saúde às pessoas ao lado de outros especialistas. “Pessoas instruídas vivem melhor”, defendeu.

Ps: Agradeço o convite da assessoria de imprensa da Rede Bandeirantes. Sempre é uma boa oportunidade conhecer, de perto, os profissionais que constroem a nossa televisão.

Fabio Maksymczuk

terça-feira, 21 de maio de 2019

Ritmo acelerado marca estreia de "A Dona do Pedaço"


Olá, internautas

Nesta segunda-feira (20/05), a TV Globo estreou “A Dona do Pedaço”. O autor Walcyr Carrasco ressurge na faixa horária com a missão de alavancar os índices de audiência. Ele retorna após um brevíssimo hiato. No ano passado esteve com “O Outro Lado do Paraíso”. Isso é algo incomum na emissora.

Logo neste primeiro capítulo, dá para perceber que a produção veio com os pés no chão. Escalou dois atores experientes, carismáticos e competentes como protagonistas. Juliana Paes e Marcos Palmeira já deram a chamada química no vídeo.

O ritmo acelerado que marcou a estreia de “Amor à Vida” retornou em “A Dona do Pedaço”. Maria da Paz, em poucos minutos, saiu da infância para se tornar uma jovem adulta. Logo no primeiro olhar, apaixonou-se por Amadeu que já a pediu em casamento.

A disputa sangrenta entre as famílias Matheus e Ramirez ficou escancarada. Matadores de aluguel. Armas são deixadas até na mesa em um “prosaico” encontro familiar. E dá-lhe mais tiros. Até dentro da Igreja durante a cerimônia do matrimônio entre Maria e Amadeu. O capítulo encerrou-se com o corpo do advogado estendido no chão. Será que morreu? Ótimo gancho para o telespectador acompanhar o desenrolar do novelo nesta terça (21/05).

A questão armamentícia ganha ampla discussão na sociedade brasileira com o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro que autoriza o porte de armas para diferentes grupos sociais. O clima de “bang bang” que marcou o primeiro capítulo da nova aposta da TV Globo fica contextualizado neste momento político (mesmo que os personagens em questão sejam bandidos).

“A Dona do Pedaço” passará por passagem de tempo e dezenas de personagens entrarão na novela. Mesmo assim, o primeiro capítulo passou uma boa perspectiva. O cerne da história foi bem contado e o telespectador já compreendeu a história. Sem malabarismos.  

Fabio Maksymczuk