Páginas

terça-feira, 9 de agosto de 2022

Giuseppe Gerundino traz novidade ao desgastado "Bake Off Brasil"

 

Olá, internautas

No último sábado (06/08), o SBT estreou a oitava edição do “Bake Off Brasil”. A “atração mais doce da TV brasileira” enfrenta um natural processo de desgaste já há algumas temporadas. Para trazer alguma novidade à competição dos confeiteiros amadores, a emissora escalou Giuseppe Gerundino ao lado de Beca Milano.

Neste primeiro episódio, o italiano, de fato, trouxe um novo ar ao “Bake Off Brasil”. Mais leve e solto em comparação a Olivier Anquier que adotava uma postura mais circunspecta. Um acerto.

A apresentação breve dos 18 competidores trouxe alguns perfis curiosos, como um cantor gospel, uma argentina (já eliminada), uma pernambucana chamada Ethelandia, um rapaz que mora na Espanha, um empresário com figurino que lembra Fabio Arruda, entre outros.

Durante a edição, os velhos ingredientes do talent show já apareceram. A velha briga pelo “ultra” já surgiu logo na estreia. O clima de competição foi, mais uma vez, amenizado com os competidores ajudando um ao outro.

Desta vez, o vencedor do “Bake Off Brasil 8” conquistará 25 mil reais em compras. Mesmo assim, é muito pouco. No “MasterChef”, exibido pela Band com audiência menor, os cozinheiros amadores disputam um prêmio de 250 mil reais.

“Bake Off Brasil 8” deverá trazer elementos novos no formato para conquistar a atenção do telespectador e ganhar repercussão.

Fabio Maksymczuk

sábado, 6 de agosto de 2022

TV brasileira se mobiliza com morte de Jô Soares

 

Olá, internautas

Na última sexta-feira (05/08), a notícia da morte de Jô Soares, aos 84 anos, movimentou a programação da TV brasileira. Desde cedo, diferentes atrações voltaram-se ao acontecimento que sensibilizou o telespectador que acompanhava, há décadas, o trabalho do ator, diretor, escritor e humorista.

Ana Maria Braga fez questão de ir aos estúdios da Globo, em São Paulo, para deixar uma mensagem de carinho ao colega no “Mais Você”. O matinal contava com uma edição gravada. Por outro lado, Rafael Pessina e Kaká das Novelas tiveram que segurar, sozinhos, a cobertura, ao vivo, do falecimento de Jô no “Melhor da Tarde”. Sem Catia Fonseca no estúdio (e nem o “coapresentador” Alex Sampaio). O programa da Band também estava gravado.

Em seguida, José Luiz Datena, ao vivo, comandou a cobertura no “Brasil Urgente”. Até resgatou uma entrevista concedida por Jô ao apresentador na rádio do Grupo Bandeirantes. O humorista revelou que desejava chegar aos 90 anos.

Na Record TV, Luiz Bacci resgatou sua entrevista, ainda criança, ao então apresentador do SBT no “Jô Soares Onze e Meia” durante o “Cidade Alerta”. Bacci ressaltou a importância daquele bate-papo, pois pouco tempo depois, o garoto seria contratado pela TV Manchete.

“Jornal Nacional”, com William Bonner e Ana Paula Araújo, exibiu uma edição, praticamente total, dedicada a Jô. A TV Globo ainda conta com uma programação especial dedicada ao comunicador com a exibição de Viva o Gordo e edições especiais dedicadas ao entrevistador do Conversa com Bial, É de Casa e Altas Horas, além do “Supercine” com Xangô de Baker Street.

O SBT também apostou em uma cobertura especial com reprises de entrevistas memoráveis do “Jô Soares Onze e Meia” na última madrugada, inclusive na faixa do “The Noite” que não foi ao ar, além de episódios do “Veja o Gordo” que serão exibidos nesta madrugada.

Conhecia pessoalmente Jô Soares. Ele era primo do meu antigo chefe. E também já o vi pelo bairro de Higienópolis. Morava em frente ao Colégio Sion onde estudei. Tratou-me sempre com extrema educação e elegância.

Descanse em paz.

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 4 de agosto de 2022

Andréia Sadi imprime novo estilo ao "Estúdio I"

 

Olá, internautas

Os estilhaços da nova programação da TV Globo respingaram na GloboNews que também passa por um processo de mudanças. Maria Beltrão, uma das fundadoras do canal de notícias, migrou para o “É de Casa”. Desse modo, Andreia Sadi assumiu o posto de comandante do “Estúdio I”, uma das atrações mais interessantes da emissora que “nunca desliga”.

Maria Beltrão imprimia o seu estilo singular à atração. Funcionava como um bate-papo descontraído entre jornalistas.

Com a chegada de Sadi, “Estúdio I” ganhou uma nova identidade. O programa jornalístico assemelha-se agora, de certo modo, ao “Em Pauta”. A apresentadora conduz os comentaristas que analisam a pauta do dia, especialmente do universo político. Marca da nova apresentadora.

É uma mudança de perfil que não compromete a excelência do debate. Evidentemente, Sadi não possui a mesma personalidade de Beltrão. O novo cenário marca essa nova fase. Os jornalistas ficam mais distantes um do outro. Há ainda participação de outros colegas da GloboNews pelo telão. 

O DNA de Beltrão já desapareceu.

Fabio Maksymczuk

segunda-feira, 1 de agosto de 2022

18 anos: Blog FABIOTV atinge maioridade

 

Olá, internautas

Hoje (01/08), é uma data muito especial para o blog FABIOTV. Comemoramos 18 anos na blogosfera. Atingimos a maioridade.

Um marco importante diante das transformações que ocorreram durante todo esse período no ambiente virtual. Quando estreamos, tínhamos o objetivo de publicar textos curtos e diários sobre a programação da TV brasileira. Uma ideia que foi concretizada, anos mais tarde, no Twitter.

O blog se transformou em um espaço com textos mais longos e analíticos. Nestes 18 anos, sempre tivemos a preocupação de contemplar todas as emissoras da TV brasileira, principalmente da chamada TV aberta.

Espraiamos as nossas discussões para outras redes sociais, como Facebook, Twitter e até Instagram. Não podemos nos esquecer da melhor de todas, o Orkut, que encerrou suas atividades nesse período.

Em 18 anos, a TV brasileira, que tinha a TV Globo como hegemônica, ganhou novos concorrentes, especialmente do mundo virtual. Canais proliferam no Youtube. Influenciadores digitais “capturaram” a atenção do público jovem que se afasta, cada vez mais, da televisão. É um veículo que passa por profundas transformações.

E estamos aqui acompanhando todos esses movimentos. A TV aberta ainda possui uma enorme força no nosso País. E continuaremos aqui para analisar esse incrível meio de comunicação.

Contamos sempre com sua visita. Seguimos em frente. 

Fabio Maksymczuk

sábado, 30 de julho de 2022

Novo quarteto encara desafios no "É de Casa"

 

Olá, internautas

A TV Globo apostou em novos apresentadores no “É de Casa” dentro do pacote de reformulações na grade de programação. Maria Beltrão saiu da GloboNews e agora ganha espaço na TV aberta ao liderar o novo quarteto da atração matinal.

Além de Maria, Rita Batista, Thiago Oliveira e Talitha Morete assumiram o posto de comandantes do programa. Os quatro apresentadores não possuem o mesmo vínculo com o telespectador, como ocorria com Ana Furtado, André Marques, Patrícia Poeta e Cissa Guimarães que há décadas “batiam o cartão” na TV Globo. O novo quarteto terá esse desafio de criar o elo com o público.

Talitha Morete é o ponto mais frágil. A apresentadora praticamente é uma “clone” de Patricia Poeta. Mesmo visual e postura no vídeo. Em seu lugar, deveria ter sido escalado um apresentador. Dois homens e duas mulheres.

Por outro lado, acertaram na escalação de Rita Batista. A apresentadora traz o sotaque baiano ao programa da TV Globo. Transmite elegância e informalidade ao mesmo tempo.  

Thiago Oliveira apresenta uma postura centrada. Amadurecido. O apresentador iniciou sua carreira na TV Gazeta inspirado nitidamente em Tiago Leifert. No decorrer dos anos, abandonou tal postura. Evoluiu. Vale a aposta. Já Maria Beltrão está no limite de ser “over” na atração da TV Globo. Em um cenário ideal, deveria descer um tom na apresentação.

Neste sábado (30/07), a reportagem sobre dona Edelzuita, uma pernambucana de 93 anos que voltou a estudar para escrever o livro de sua história de vida, foi o melhor momento do matinal. Beltrão até ficou emocionada com a garra da nonagenária. 

O programa com quase cinco horas de duração é composto por diversas reportagens e quadros gravados, como “Tempero de Família” liderado por Rodrigo Hilbert. Há uma nítida preocupação em trazer reportagens fora do eixo Rio-São Paulo e contemplar todo o País. Rio Grande do Norte, Pará, Pernambuco e Paraíba apareceram nesta edição.

Outros quadros recheiam “É de Casa”. Em “Panta News”, os apresentadores pincelam suas visões sobre a novela das nove. “Bem Estar” também marca presença. Entrevista com o elenco da emissora também se faz presente. Neste sábado, Arlete Salles relembrou sua carreira, relacionamento com Toni Tornado e o seu mais recente trabalho em “Além da Ilusão”. Há ainda o tradicional momento da gastronomia.

“É de Casa” entra em nova fase com a premissa da “diversidade” e “representatividade”. Isso é positivo. Por outro lado, os desafios precisarão ser superados.

Fabio Maksymczuk

quinta-feira, 28 de julho de 2022

Retorno de "Cúmplices de Um Resgate" reforça looping no SBT

 

Olá, internautas

Nesta quarta-feira (27/07), o telespectador do SBT foi “brindado” com mais uma reprise de “Cúmplices de Um Resgate” em pleno horário nobre. A trama protagonizada por Larissa Manoela foi exibida originalmente em 2015 e 2016. Entre 2019 e 2020, ganhou sua reprise com mais de 400 capítulos. Em sete anos, portanto, a novela conta com três exibições sucessivas. E o pior: as reprises no mesmíssimo horário. Mesmo públcio.

E não para por aí. A emissora de Silvio Santos vive em looping com outras novelas. Para reerguer as suas tardes, o canal resgatou “Carrossel”, mais uma vez. A versão nacional foi ao ar, pela primeira vez, em 2012 e 2013. Teve reprises entre 2015 e 2016, além de 2018 a 2019. Portanto, agora está na quarta exibição em 10 anos.

“Esmeralda” é outra trama comumente levada ao ar na programação do SBT. A versão nacional foi produzida entre 2004 e 2005. Ganhou reprises entre 2010 e 2011, além de 2014 e 2015. Encontra-se também em sua quarta exibição, só que em intervalos maiores. Não será surpresa alguma se “Pérola Negra” suceder a novela liderada por Bianca castanho e Claudio Lins.

É válido destacar que as reprises de Carrossel e Esmeralda conseguiram levantar a emissora do limbo. Registram médias ao redor dos 4 pontos. “SBT Notícias”, que ocupava a faixa horária vespertina, ficava na casa dos 2 pontos. Ou seja, o telespectador também incentiva o “looping”.

O SBT, na realidade, fica cada vez mais dependente de reprises para tapar o buraco na programação. O vazio que existe, há anos, em pleno horário nobre (21h30 às 22h30) precisa ser resolvido. O retorno de “Cúmplices de Um Resgate” sinaliza falta de investimento. E isso é péssimo.

Fabio Maksymczuk

domingo, 24 de julho de 2022

"Pipoca da Ivete" recicla velhas gincanas do SBT

 

Olá, internautas

Neste domingo (24/07), a TV Globo estreou “Pipoca da Ivete”. O novo dominical surge após o encerramento do “The Voice Kids”, talent show já exaurido na grade de programação da emissora platinada.

Ivete Sangalo agora comanda a atração que reúne velhos ingredientes de outros programas de auditório, mais precisamente do SBT. Aliás, igual ao que acontece com o “Caldeirão com Mion”.

O programa é estruturado em três bases. A primeira é uma disputa entre famílias, o que remete ao “Tamanho Família”, de Marcio Garcia, que também ocupava os domingos do canal. Tadeu Schmidt enfrentou Ivete em velhas gincanas. Cada um representou uma família. Uma, composta por um casal homoafetivo. A outra, formada por afrodescendentes. O apresentador do “BBB” fez uma boa participação. Entrou no clima.

Os familiares tinham que passar dicas de uma “palavra secreta” para Ivete e Schmidt adivinharem. Estilo “Mega Senha”, da RedeTV!. Em outro momento, os desafiantes tinham que pegar um objeto e emitir sons para que o outro acertasse o “enigma”. Quadro que lembra outros já apresentados por Gugu Liberato. Adivinhar nomes de famosos com dicas também integrou essa parte do dominical. É necessário equilibrar a pontuação nas brincadeiras. A terceira prova vale muitos pontos em comparação a outras anteriores.

O segundo pilar aparece com a disputa entre duas cantoras. É o “Iveteokê”. A atração encontra os (as) candidatos (as) pelas ruas e traz para o palco da TV Globo. Em seguida, o público, com pompons, escolhe o (a) melhor. DNA de Silvio Santos detectado com sucesso.

Já o terceiro pilar aparece em uma disputa entre famosos. Nesta estreia, Regina Casé, Jonathan Azevedo, Paolla Oliveira e Diogo Nogueira encararam os desafios propostos por Ivete. As atrizes tiveram que encenar uma cena clássica da novela Tieta. Quadro que lembra o exibido por Gugu Liberato, nos anos 90, com o seu “Domingo Legal”.

Jonathan e Diogo enfrentaram o desafio do biscoito no rosto. Eles tinham que, com movimentos, descê-lo da testa até a boca. Sem o auxílio das mãos. Nenhum conseguiu. Velho quadro, também de Gugu Liberato, exibido há mais de 25 anos.

“Pipoca da Ivete” passou a imagem de ser do SBT, só que com a estrutura e elenco da TV Globo. É um programa que faz questão de não reinventar a roda. O carisma de Ivete Sangalo tende a ser o grande diferencial da nova aposta da TV Globo. Para isso, ela precisa se libertar de amarras e ser mais livre na apresentação. A conferir.

Fabio Maksymczuk 

quinta-feira, 21 de julho de 2022

Cansaço aparece em estreia do "Ilha Record 2"

 

Olá, internautas

Na última segunda-feira (18/07), a Record TV estreou a segunda temporada do “Ilha Record”. Desde o ano passado, a emissora emenda um reality atrás do outro. Power Couple Brasil, Ilha Record e A Fazenda surgem na programação sem respiro algum.

Praticamente, o mesmo roteiro permeia as três atrações ambientadas em uma mansão, ilha e “ambiente rural”. O cansaço já apareceu logo nestes primeiros episódios da “Ilha Record”.

Caique Aguiar, que carrega uma expressiva taxa de rejeição por sua participação em “A Fazenda 10”, surgiu, neste início, como um dos protagonistas. O modelo já bradou que se considera “forte”. O comportamento de “líder/jogador” (entre aspas) fortalece ainda mais o ranço por parte do público.

O elenco é o mais fraco da história dos realities da Record TV no quesito “famosos”. Consequência direta da produção em ritmo industrial das atrações do gênero na emissora. Não há material humano para tantas edições.

Além de Caique, podem ser considerados conhecidos do público da TV aberta: Solange Gomes (vinda prematuramente de “A Fazenda 13” exibida há cerca de sete meses), Aline Dahlen (do BBB14) e Raphael Sander (ex-Dancing Brasil e ator das novelas da Record TV).

O humorista Bruno Sutter também aparece na lembrança do telespectador pela dupla Hermes e Renato, dos tempos da MTV Brasil. Nestes primeiros “capítulos”, Sutter desejou promover o “entretenimento da família brasileira”. Há ainda o ex-chiquitito Kaik Pereira e a ex-panicat Whendy Tavares. 

O restante do elenco reúne ex-esposa de jogador, ex-jogador sem grandes feitos no futebol, ex-De Férias com o Ex (sempre presente nos realities da Record TV), influenciadores digitais e afins. Fábio Braz, Jaciara Dias, Kaio Viana, Flavio Nakagima, Ste Viegas e Vitória Bellato  integram a segunda temporada do “Ilha Record”. Dificilmente, essa turma despertará interesse do telespectador para acompanhar o reality.

Mariana Rios sucede Sabrina Sato na apresentação. A atriz e cantora não é uma apresentadora nata. Por isso mesmo, nestes primeiros episódios, transmitiu insegurança e artificialidade no vídeo.

“Ilha Record 2” estreia sem grandes expectativas. Agora, é acompanhar se as peças do elenco se encaixam e ofereçam um bom conteúdo ao público.

Fabio Maksymczuk  

segunda-feira, 18 de julho de 2022

SBT busca rejuvenescimento de público no "Programa Silvio Santos" com Patricia Abravanel

 

Olá, internautas

Patricia Abravanel, cada vez mais, aparece como sucessora de Silvio Santos no tradicional dominical do SBT. Como já dito neste espaço, a apresentadora obtém um bom desempenho à frente da atração. Com a sua própria personalidade, ela, em nenhum momento, deseja imitar o seu pai. E isso é ótimo.

O SBT agora sinaliza que busca um rejuvenescimento do público com a presença mais frequente de Patricia no programa. A participação de influenciadores digitais simboliza tal tendência.

No último domingo (17/07), por exemplo, a apresentadora recebeu uma série de personagens da internet, como Karen Kardasha, vivido por Renato Shippee, e Leuriscleia, interpretada por Gutierrez Castro, além de Gustavo Tubarão e Jacques Vanier. O público tradicional da TV aberta e, em especial, do dominical, desconhecem tais figuras.

Além disso, Patricia comanda quadros com ferramentas das redes sociais. No “Jogo dos Pontinhos”, por exemplo, o auditório tinha que responder se curtia ou não determinada notícia.

Além dos influenciadores digitais, Patricia também sempre recebe personagens do universo LGBTQIA+ (alguns na intersecção com o digital). Uma forma de amenizar a sua imagem com a comunidade, após comentários considerados polêmicos. A participação de Fefito e Gominho sinaliza tal percepção.

O novo cenário do “Programa Silvio Santos” também reforça esse movimento. Visual moderno e jovem. Apresenta mais o perfil de Patricia em comparação ao animador.

“Programa Silvio Santos” passa a impressão de viver uma “transição lenta, gradual e segura”.

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 15 de julho de 2022

Episódio agressivo marca sexta temporada do "Power Couple Brasil"

 

Olá, internautas

Brenda e Matheus sagraram-se campeões da sexta temporada do “Power Couple Brasil”. Na última quinta-feira (14/07), o casal oriundo do “Brincando com Fogo", da Netflix, conquistou 53,88% da votação popular e levou para casa o saldo acumulado no jogo, que totalizou R$ 330 mil.

“Power Couple Brasil” é um dos realities mais esticados da Record TV. Por isso mesmo, os índices ficaram apenas ao redor dos 5 pontos de média. Exibição de segunda a sábado. Além disso, participantes pouco conhecidos do público da TV aberta também não atraíram a audiência.

Nesta temporada, Adriane Galisteu ficou menos “afetada” na apresentação. Seu bordão “meus amores” foi menos utilizado. Também demonstrou menos ansiedade e afobação no comando, como ocorreu em sua estreia no ano passado. Mesmo assim, Adriane é uma apresentadora da linha de shows que está à frente dos realities da Record TV.

A seguir, um breve balanço de cada casal:

Brenda e Matheus: o casal passou a impressão de ter entrado “brifado”. Sabiam exatamente o que tinham que fazer para aparecer na edição do reality. Em um primeiro momento, entraram em discussões acaloradas. Em seguida, passaram a verve de excluídos. E na reta final, ostentaram ar mais tranquilo e de cumplicidade para suavizar a imagem. E funcionou. Além disso, os outros casais fortaleceram a narrativa de perseguidos. Votavam sistematicamente no “Casal Pet”. Péssimas jogadas dos concorrentes que fortaleceram os vencedores.

Karol e Mussunzinho: deixaram má impressão no reality. Foram agressivos com Brenda e Matheus em diversos momentos. Até entoaram que a gaúcha tinha “bafo de cocô”. Extrema deselegância de Mussunzinho. O ator também tentou menosprezar Hadballa ao comentar que ele era um “velho” por ter 40 anos. Em um dos capítulos, Mussunzinho afirmou que estava com vontade de torcer o pescoço de alguém. Comentário infeliz. Após o vazamento de informações externas durante uma prova (que o grupão vai acabar), Karol e Mussunzinho mudaram completamente a postura com os rivais Brenda e Matheus. Pregaram até bandeira de paz. Não convenceram.

Adryana Ribeiro e Albert: Adryana deixou uma ótima imagem no reality. A cantora, uma das mais conhecidas pelo público no reality, passou uma imagem de serenidade no jogo, mesmo com ataques vindos, principalmente de Pe Lanza e Anne. Já o companheiro Albert passou uma imagem de “racional”. Verve de jogador que desejava comandar o jogo. Emoção e razão.

Luana e João Hadad: o casal deixou uma boa imagem no reality. Hadad sempre se preocupou em dar atenção a sua companheira e passar carinho com bonitas palavras. Um incentivo positivo diante das dificuldades enfrentadas por Lu no reality de ampla exposição.

Hadballa e Eliza: o ex-jogador de futebol foi um dos poucos a compreender o jogo de Brenda e Matheus. Porém, demorou demais para tentar descontruir os adversários. A percepção do público já estava sedimentada.

Pe Lanza e Anne: o casal não deixou uma boa imagem no “Power Couple Brasil”. Entraram em confronto desnecessário com Adryana e Albert. Durante a atração, Pe Lanza revelou que sentia orgulho de ser “militante”. Eis que, em uma prova, não passou pelo teste da ética. Pegou mal. Em outro momento, indagou se os telespectadores eram alienados. Pegou mal. A falta de harmonia do casal também chamou a atenção do público.

Cartolouco e Gabi Augusto: em “A Fazenda”, Cartolouco ficou com a imagem de personagem folclórico. No “Power Couple Brasil”, saiu com a imagem arranhada após o seu estilo provocativo de jogo. Cartolouco bradava que Dinei ficaria no jogo. Após a saída do ex-jogador do Corinthians, grudou em Matheus e Brenda. Não convenceu.

Baronesa e Rogério: o pai de MC Gui protagonizou o momento mais tenso do “Power Couple Brasil”. Após entrevero com Cartolouco que, de fato, provocava o empresário, Rogerio ficou descontrolado na Mansão Power. Quebrou até a janela do quarto do jornalista esportivo. Seguranças foram chamados em uma situação inédita em todas as edições dos realities da Record TV. Foi um dos momentos mais tensos e agressivos na história de 20 anos dos reality shows no Brasil.  


Ivy Moraes e Fernando Borges: tentaram passar uma imagem de neutralidade no jogo, quando, na realidade, deveriam ter firmado uma posição mais firme entre os grupos.  

Michele e Bruno Passa: o casal entrou como um dos mais desconhecidos pelo público da TV aberta e saiu igualmente desconhecido. Desperdiçaram a oportunidade.  

Nahim e Andreia: Nahim arranhou sua imagem após proferir comentário homofóbico contra Matheus. Pegou mal. Já Andreia, de fato, passou muito do ponto durante o reality. Em uma das cenas que marcou a temporada, a companheira de Nahim “surtou” com Brenda na mesa durante o café da manhã. A namorada de Matheus sequer tinha relado em Andreia que teve um destempero verbal. Passou ar de agressividade. O casal de veteranos se descontrolou com os jovens. A experiência não se fez presente. E Nahim agora é Narrim...

Dinei e Erika: incompreensível a escalação de Dinei para mais um reality. O casal ficava apenas nos cantos da Mansão Power.

Rodrigo Mila e Daiana Araújo: primeiro casal eliminado.

Fabio Maksymczuk

quarta-feira, 13 de julho de 2022

"Filhas de Eva" inicia com bom fôlego na TV Globo

 

Olá, internautas

Na última terça-feira (12/07), “Filhas de Eva” estreou na TV Globo. A nova série, disponibilizada originalmente no Globoplay, sucede “No Limite” na grade de programação. A estreia registrou 19 pontos de média, índice já superior ao conquistado pela sexta temporada do reality show.

Criada e escrita por Adriana Falcão, Jô Abdu, Martha Mendonça e Nelito Fernandes, com direção artística de Leonardo Nogueira e direção de Felipe Louzada e Nathalia Ribas, “Filhas de Eva” estreou com bom fôlego. A narrativa é televisiva. O desenvolvimento da história liderada por Stella, vivida por Renata Sorrah, envolveu o público.

Em plena festa de 50 anos do seu casamento com Ademar (Cacá Amaral), a matriarca decide pedir o divórcio, em alto e bom som. Em paralelo, Giovanna Antonelli interpreta a psicóloga Lívia (Giovanna Antonelli), filha de Eva e Ademar. Ela já transmitiu a imagem de controladora ao impor regras rígidas em casa e, ao mesmo tempo, insegura ao colocar o seu casamento com Kleber (Dan Stulbach) como prioridade.

Já Cléo, vivida por Vanessa Giácomo, é a terceira personagem que estruturou o episódio de estreia. Desempregada e endividada, ela já se envolveu com Kleber, marido de Livia. As três personagens, de diferentes faixas etárias e condições socioeconômicas, dialogam, principalmente, com a telespectadora da produção.

O capítulo de estreia conseguiu prender a atenção e criar expectativa para a continuidade da história. Começou bem.

Fabio Maksymczuk

sexta-feira, 8 de julho de 2022

Final absurda tira força de "No Limite 2022"

 

Olá, internautas

Na última quinta-feira (07/07), a TV Globo exibiu a grande final de “No Limite 2022”. Charles Gama sagrou-se campeão do reality show com 51,42% da votação popular. A temporada ficou marcada pelas alianças internas que dizimaram os mais fortes das tribos Lua e Sol.

Os candidatos mais competitivos saíram um por um. Os medianos avançaram. Clécio, da Tribo Sol, expôs tal situação de forma escancarada. Disse que, propositalmente, se recolheu na fase das tribos e mostrou o seu vigor e potencial na fase individual.

O telespectador acompanhou, impávido, todas essas eliminações. Por isso mesmo, foi muito bonita a atitude de Tiemi Hiratsuka que preferiu ser votada para deixar o concorrente Janaron na disputa.

Porém, o indígena sobreviveu pouco tempo no jogo. No programa seguinte, foi eliminado por concorrentes com menor potencial. Essa constante irritou grande parcela do público. E o reality perdeu fôlego nos índices de audiência. A disputa se nivelou por baixo.

O escoteiro Pedro e o índio Janaron mal chegaram próximos da grande final. Ninha liderou o “complô” feminino. Ficou com a imagem de vilã. No final das contas, nenhuma mulher ficou entre as finalistas.

A representatividade foi outra marca da temporada 2022. Dos quatro finalistas, três são homossexuais e um bissexual. “Todos afetadíssimos”, ressaltou Victor que comandou a estratégia de defender a sua aliança formada pela “minoria”.

O maior absurdo de toda a temporada recaiu na grande final. Após ficarem 45 dias na luta pela sobrevivência diária, e das tramoias dentro das tribos, a decisão de quem seria o campeão ficou nas mãos da votação popular ocorrida em poucos minutos. Surreal.

O reality show deveria ter exibido uma grandiosíssima prova final entre Charles, Ipojucan (que seria o favorito) e Lucas. Foi um balde de água fria. Um anticlímax para o telespectador que acompanhou a atração por meses. Erro grosseiro.

Fernando Fernandes sobressaiu na apresentação de “No Limite”. Aproveitou a oportunidade. Conseguiu transmitir emoção e garra à frente do reality. O apresentador já anuncia, nos intervalos comerciais, inscrições para a temporada 2023. Neste ano, as provas foram mais desafiadoras e o elenco de anônimos, realmente, enfrentou as intempéries da competição. A aparência esquálida de todos chamou a atenção no vídeo.

Fabio Maksymczuk

segunda-feira, 4 de julho de 2022

TV Globo aposta em caminho seguro no "novo" Encontro

 

Olá, internautas

Nesta segunda-feira (04/07), “Encontro” entrou em uma nova fase. Patricia Poeta assumiu, oficialmente, o comando do matinal. A TV Globo apostou em um caminho seguro e óbvio na sucessão de Fatima Bernardes que se despediu do programa na última sexta-feira (01/07).

Diante das constantes ausências de Fatima nos últimos tempos, Patricia sempre surgia no vídeo. Portanto, a nova fase do “Encontro” não é, de fato, uma ruptura. É uma continuidade, agora gravado nos estúdios em São Paulo.

Manoel Soares aparece como coapresentador do matinal. Esse será o maior desafio do programa que possui cerca de uma hora no ar. Patricia possui um estilo. Manoel, outro. Na edição desta segunda, a relação da dupla foi harmoniosa. Porém, não havia a necessidade de dois apresentadores à frente do matinal com a atual duração.

Tati Machado também permanece no programa. A jornalista atualmente explora “Pantanal”. Os totens, que foram marca na cobertura do BBB, agora ganham espaço com os personagens da novela das nove.

A maior mudança, de fato, ocorre na alteração do horário. “Encontro” começa a partir das 9h30. Inverteu com o “Mais Você” que vai ao ar às 10h35. Horários de Brasília. Os dois programas, normalmente, ficam na casa dos 7 pontos. Agora, é acompanhar a reação do telespectador.

Fabio Maksymczuk

Ps: nos últimos dias, enfrentei, novamente, problemas com a conexão da internet no meu computador.

quarta-feira, 29 de junho de 2022

Globo erra em sucessões

 

Olá, internautas

O Grupo Globo vive um momento de renovação em sua programação. O conglomerado aposta em remexidas que quebram o hábito do telespectador. Algumas sucessões não conquistam bom desempenho e desagradam parcela importante do público.

A emissora surpreendeu com a saída de Carlos Tramontina que há muitos anos apresentava, com brilhantismo, segurança e credibilidade, o “SP2”. O canal platinado apostou em José Roberto Burnier que, também há muitos anos, trabalhou como repórter do então SPTV. Nos últimos tempos, era apresentador da GloboNews e foi realocado para o telejornal paulista.  

Nesse período, Burnier comprova que é melhor repórter a apresentador. A postura do jornalista à frente do “SP2” fortalece o saudosismo do público com Tramontina. Escolha equivocada.

Já na programação matinal, Louro José deixou saudades. Figura insubstituível de Tom Veiga que há décadas formava uma ótima dupla com Ana Maria Braga. Eis que a TV Globo resolve, de supetão, apostar em novo mascote para o matinal. Sem a menor necessidade.  

E para piorar a situação, a mesmíssima figura de um papagaio que remete ao saudoso Louro José. Agora, é o Louro Mané, filho de José, que não se encaixou ao lado da apresentadora. Erro grosseiro. Outra sucessão equivocada.

Na GloboNews, o mesmo acontece. O jornalista Erick Bang, que brilhava há anos à frente da Edição da Meia-Noite, foi substituído por Narayanna Borges que também não está à altura do antecessor. Estilo completamente diferente.

E não para por aí. Até nas ondas do rádio a sucessão cria ruídos. No CBN São Paulo, a ótima Fabiola Cidral deveria ter sido substituída por Petria Chaves. Porém, apostaram em Debora Freitas que apresenta um estilo sisudo em comparação à antecessora. Fernando Andrade divide agora a apresentação do radiojornal. Poderia ter sido efetivado como único titular. 

E sem falar que parte dos telespectadores ainda estranha Luciano Huck à frente do “Domingão”. Comparações entre Fausto Silva e o paulistano no comando do Dança dos Famosos ganharam espaço.

As sucessões deveriam ter sido melhores estudadas.

Fabio Maksymczuk

domingo, 26 de junho de 2022

"Mistura Paulista" apresenta boa ideia na TV Globo

 

Olá, internautas

No último sábado (25/06), a TV Globo exibiu o último episódio da segunda temporada do “Mistura Paulista”. O programa vai ao ar apenas para São Paulo. Ocupa a faixa das 14h15 às 15 horas que até hoje, após o encerramento do “Estrelas”, não solidificou uma atração fixa. Reprises de humorísticos, como “Toma Lá, Dá Cá” e “Escolinha do Professor Raimundo – Nova Geração” pulularam recentemente por ali.

O perfil do “Mistura Paulista” combina com o público do “Jornal Hoje” que antecede na programação. Um acerto de horário. O programa comandado por Denise Thomaz Bastos e Luiza Vaz desvenda bairros paulistanos que não ganham a atenção merecida na grande mídia. Ou então são apenas vistos como regiões de alta taxa de criminalidade e estampam manchetes por crimes. Muitos fora da órbita do centro expandido.

As apresentadoras mostram curiosidades típicas dessas localidades. Na realidade, São Paulo é uma megalópole formada por “minicidades”. O bairrismo é presente na capital, como percebido na polêmica surgida após um comentário de uma moradora do Tatuapé sobre Vila Medeiros.

Nasci na cidade e jamais fui para Vila Formosa e Tremembé, bairros que ganharam destaque em um dos seis episódios da temporada. Denise e Luiza transmitem um novo olhar sobre essas regiões da Zona Leste e Zona Norte, respectivamente. As apresentadoras passam dicas esportivas, como a primeira academia de escalada do Brasil localizada no Jabaquara, e também culturais, como o Casarão do Vinil na Mooca. Agrega informação ao público.

“Mistura Paulista” apresenta uma ideia interessante na programação regional da TV Globo.

Fabio Maksymczuk