Páginas

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Telenovelização entra na veia do "Cidade Alerta"



Olá, internautas

A Record festeja a audiência do “Cidade Alerta”. A tradicional atração da emissora, comandada por Luiz Bacci, surfa em ótimos índices no IBOPE. O jornalístico policial, de uns tempos para cá, conquista a liderança durante o confronto com Malhação: Vidas Brasileiras e até com a novela das seis, Espelho da Vida.

O programa, atualmente, explora casos que comovem a sociedade brasileira. Neste ano, o assassinato da menina Vitória em Araçariguama deu o pontapé para o fenômeno. “Cidade Alerta” fez uma ampla cobertura. Em seguida, Bacci iniciou um périplo. O sumiço da adolescente Rayane, estudante morta por um segurança após festa em Mogi das Cruzes, chamou a atenção do telespectador.

Depois, veio o caso Daniel, ex-jogador de São Paulo, que foi mutilado em São José dos Pinhais. História escabrosa que envolve a família Brittes. Na semana passada, o noticiário da Record abordou o desaparecimento de Amanda. E, agora, Bacci aposta na cobertura do caso Tainá que desapareceu em Campinas. Um cantor estaria envolvido nesta nova história.

“Cidade Alerta” adotou a telenovelização em todos esses casos. O clima de suspense permeou a cobertura jornalística. Quem matou Daniel? O que aconteceu com Rayane? Os vilões, evidentemente, são os assassinos. Bacci retrata os assassinatos como uma novela da vida real.    Por onde teria andado a adolescente antes de ser morta? Perguntas que aguçam a curiosidade no telespectador que acompanha cada novidade como “gancho” para o dia seguinte.

O “humor” de Marcelo Rezende cedeu espaço para essa nova fase do “Cidade Alerta” com a premissa da narrativa de telenovela no jornalismo sob liderança do “menino de ouro”.

Fabio Maksymczuk

8 comentários:

  1. Olá Fabio! Enfim consigo um tempo pra comentar pelos blogs, ufa \o/
    O pior de tudo é que prefiro assistir Espelho da Vida nesse horário. Mesmo sendo uma novela ruim! E ainda assim, reconheço a ruindade e os méritos do Cidade Alerta em conseguir essas vitórias nos últimos dias. Tudo porque é um caso novo atrás do outro que ganham repercussão jornalística.
    Sobre "O Sétimo Guardião", ainda vejo que precisa de ajustes para a história pegar. Mas certamente é melhor que "Segundo Sol". Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Acho esse programa sensacionalista e deprimente, Fabio...

    ResponderExcluir
  3. Quase não vejo tv.

    juliamodelodemodelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Fábio ! Com certeza , Luis Bacci sabe bem como prender o telespectador . Novelas da vida real e todas novelas do horror em que anda o mundo . Matar virou fato banal . Mata-se por pouca coisa . O caso Daniel , nem se fale . Um caso monstruoso praticado por uma pessoa mórbida e expert em colocar todos no caso de tortura . Deprimente e nojento tudo o que rolou em torno do caso . E assim , vive a humanidade...Abraços.

    ResponderExcluir