Páginas

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Cota de desconhecidos avança em "A Fazenda 11"


Olá, internautas

Nesta terça-feira (17/09), a décima primeira edição de “A Fazenda” estreou na Record TV. Sob o comando de Marcos Mion, o reality retornou ao ar com um elenco recheado de figuras desconhecidas pelo público da emissora e da TV aberta.

Desde a sétima edição, os artistas realmente com alguma fama cada vez mais perdem espaço na atração. Algumas razões podem ser levantadas. A sexta temporada ficou marcada por cusparadas, barracos e sexo. E muitos ficaram com a imagem chamuscada. Por isso mesmo, a partir dali, os realmente famosos agora pensam duas vezes antes de encarar o reality diante do que ocorreu na antiga sede de Itu.  

Os “não famosos” têm nada a perder. Protagonizam barracos memoráveis, como ocorreu no ano passado com Gabi Prado, Nadja Pessoa e Ana Paula Renault. E a imagem do reality também fica nesse “limbo”. Além disso, o cachê também pode não ser o mesmo dos áureos tempos.

Em “A Fazenda 11”, a cota de desconhecidos avançou. Bifão e Lucas Viana (egressos da MTV), DJ Netto, Sabrina Paiva (a cota de miss sempre surge no BBB), Tati Dias e Thayse Teixeira formam o bloco que mais lembra a Fazenda de Verão.

No bloco intermediário, ficam a ex-panicat Aricia Silva (cota tradicional do programa), Guilherme Leão que chamou a atenção da mídia por ser o “segurança gato do Metrô” e o ator Phellipe Haagensen, irmão de Jonathan Haagensen, participante da edição pioneira.

Há ainda outras figuras repetidas no “álbum”, como Drika Marinho que mal saiu do “Power Couple Brasil”, Diego Grossi, ex-BBB e expulso da edição anterior do Power Couple Brasil (já disse logo na estreia que deseja “limpar a sua imagem”) e Hari Almeida (representante da cota de expulsos do BBB, vide Marcos Harter e Ana Paula Renault).

Entre os famosos realmente, que despertam interesse no telespectador para acompanhar como eles são “na realidade”, aparecem Andréa Nóbrega (será que a imagem passada na mídia é uma personagem ou não? ex-Aprendiz e ex-Mulheres Ricas), Rodrigo Phavanello (presente na mídia há mais de 20 anos), Túlio Maravilha (também ex-Power Couple Brasil, mas deixou sua marca nos gramados brasileiros) e Viny Vieira (um dos ícones dos áureos tempos do Pânico). E só.

Agora é acompanhar “A Fazenda 11” e perceber se o reality recheado de "ex" apresentará um jogo jogado ou trilhará apenas no “auê” de barracos, escândalos e pegação.

Fabio Maksymczuk

8 comentários:

  1. Pegavao e brigas sempre chama a atenção

    ResponderExcluir
  2. Oi Fabio, tudo bem? Acho que há vários motivos para a aquisição de desconhecidos. Além destes que você citou, creio também que as "subcelebridades tradicionais" já estão em falta, porque várias delas já passaram pelo programa. E, hoje, as "sub" mais "conhecidas" são os destaques da internet. Novos tempos... Com isso, acho que a Record, também, está priorizando, mais do que o grau de fama, a mistura de personalidades. Vejo uma tentativa de trazer pessoas bem diferentes pra incitar o confronto. Mas, no fundo, é o que você disse: os mais desconhecidos estão mais dispostos a fazer barracos. E é disso que A Fazenda sobrevive. Abraço! www.tele-visao.com

    ResponderExcluir
  3. Vejo algo inédito em relação às outras edições. Tudo tem clima de encenação. Nada ali soa natural. Tem uma meia dúzia muito bem ensaiada forçando conflitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. frase típica dos realities: em algum momento, as máscaras caem....

      Excluir