Páginas

domingo, 9 de fevereiro de 2020

Discurso bolsonarista encontra eco no "Alerta Nacional"


Olá, internautas

“Alerta Nacional” é a nova aposta da RedeTV! no início do horário nobre. Com a entrada de Sikera Jr na programação da emissora de Dallevo e Carvalho, “Tricotando” foi remanejado para a faixa do meio-dia. “Papo de Bola” passou para 8h45. Sobrou para Olga Bongiovanni que saiu do canal.

O discurso bolsonarista encontra eco no “Alerta Nacional”. Sikera adota retórica semelhante ao presidente. Nesta semana, por exemplo, detonou Caetano Veloso que defendeu a descriminalização de todas as drogas no Brasil.

O polêmico apresentador enfatizou que as universidades federais são verdadeiras cracolândias e espera que o governo Bolsonaro promova mudanças drásticas nas reitorias.

Sikera Jr questionou se o repórter do programa “queima ou não queima”. O sonoplasta soltou o áudio “queima”. Logo em seguida, o comunicador falou “que a mãe dele não sabe”. O apresentador revelou que deseja que falem dele, mesmo que mal para o programa engrenar em todo o País. "Podem falar que sou misógino, homofóbico", disparou.

Sikera ainda detonou a imprensa que, para ele, em muitas oportunidades, protege os miliantes. “A imprensa que adora fumar maconha de bandido.... A imprensa que cheira pó”, soltou sem constrangimento algum.

“Alerta Nacional” traz uma sucessão de reportagens sobre criminalidade em todo o País, especialmente na Região Norte. A atração é gravada em Manaus. Edie Polo é o repórter de São Paulo. Já Emerson Tchalian cobre os acontecimentos em Fortaleza. Outros repórteres ficam localizados em outras cidades.

A nova aposta da RedeTV! lembra o “190 Urgente”, exibido na CNT-Gazeta. Porém, Sikera não possui o mesmo magnetismo de Ratinho. Sem o mesmo carisma no vídeo. A sua postura verborrágica contrasta com a “animosidade” nos merchandisings. Tal elemento serviu como base para o humorista Jorge Beviláqua que satirizava os apresentadores do jornalismo policial no “Jardim Urgente”, quadro de sucesso do “Tá no Ar: a TV na TV”.

Sikera Jr aposta em um discurso politicamente incorreto para angariar repercussão. O bolsonarismo encontra um representante na mídia televisiva.

Fabio Maksymczuk

14 comentários:

  1. Ja vi num programa do rr Soares um elogio a esse apresentado e dizendo que e melhor uma igreja barulhenta que um bar perto de casa ..no you tube culpou as novelas pelos comportamento dos jovens com meninas que se trancam com a amiga no quarto. .bem estilo bolso

    ResponderExcluir
  2. Vejo Sikera Jr no YouTube, sempre que posso e acho ele só fala o que (eu por exemplo) se gosta ouvi.
    Por isso a audiência dele deve ter aumentado.
    Detonar Caetano acho até pouco.
    Como sou "bolsonarista" por mim ele vai brilhar e muito.
    Abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é patética, que nem esse Sikera. E ainda escreve errado porque é burra que nem todo bolsominion.

      Excluir
    2. Liliane, aqui é um espaço democrático

      Excluir
  3. Esse cara é ridículo, a RedeTV concerteza tá ganhando uma grana do governo.

    ResponderExcluir
  4. Me deu nojo desde o primeiro parágrafo,

    https://juliamodelodemodelo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. O programa é gravado? Pensei que fosse direto, ao vivo. A roupagem desse programa não é paulista, todo certinho e cheio de medos de processos e julgamentos.Sai o que sai, mais livre e longe do discurso imposto pelo politicamente correto que acha lugar em SP como uma luva. O Brasil precisa de programas nacionais vindos de outro lugar. No mínimo para sabermos como é o comportamento dessa gente. E não falo dos crimes que são todos iguais mas das faces e dos discursos. Brasil é mais do que SP e só quando nos mudamos para outros estados é que entendemos a força que impede emergir todo o país em escolha que não existe. Eu me divirto com as loucuras daquele pessoal.

    ResponderExcluir
  6. Sikera Jr é uma febre no Amazonas e a Rede TV apostou nele para fazer frente ao Datena e o Bacci e pelo menos ele conseguiu elevar o Ibope do canal que andava perto do traço em São Paulo.

    ResponderExcluir