Páginas

quinta-feira, 19 de março de 2020

Coronavírus expõe discussão sobre programas de/com auditório


Olá, internautas

A pandemia do Coronavírus provocou uma discussão sobre o filão dos chamados “programas de auditório” em nossa televisão. Desde a semana passada, a grande maioria das atrações do gênero cancelou a presença do público que acompanha as gravações.

Foi assim com “Domingão do Faustão” que, jamais em 30 anos no ar, tinha passado por tal situação, “Domingo Legal”, “Roda a Roda”, entre tantos outros. Nesse momento, uma pergunta que fica é: qual a necessidade do auditório em tais programas? Resposta: pouca.

Apenas um programa, de fato, pode ser chamado “de auditório”. É o mais tradicional deles, o “Programa Silvio Santos”. O animador interage com as suas “colegas de trabalho” que desempenham uma função importante. Participam das brincadeiras. Interagem com o dono do baú.

Qual a importância do auditório para Faustão em suas mais de três horas de exibição? Nenhuma, no geral (apenas na votação do Dança dos Famosos, entre outras disputas). E para Sabrina Sato no “Domingo Show? Zero. Rodrigo Faro? Nenhum. Rebeca Abravanel só questiona o público presente caso o/a participante não acerta a resposta final. Portiolli, no Domingo Legal, idem.

O Coronavírus apenas expôs um fato que já era perceptível. O auditório é irrelevante nos chamados “programas de auditório”.

Fabio Maksymczuk

12 comentários:

  1. Aglomerado não pode mesmo.
    Coitado de quem faz Programa com Auditório e precisa de plateia.

    ResponderExcluir
  2. O auditório e herança da época do rádio ao vivo ..e pra dar aquela sensação de show mesmo sem interação ..algo mais grandioso. ...saudades das caravanas das cidades hj e tudo morno e sem amor

    ResponderExcluir
  3. É , mais uma lição que estamos aprendendo nestes tempos de crise viral . Sermos mais comedidos e menos exibicionistas. Abraços . Cuide-se , o Corona não brinca ! É sério !

    ResponderExcluir
  4. Oi Fabio, tudo bem? Concordo com você. Já falei sobre isso algumas vezes no meu blog, inclusive. o "programa de auditório", como gênero, não existe mais (a exceção é o Silvio). Hoje, há programas "com auditório". Eliana e Luciano Huck são os maiores exemplos disso. Há um palco, um auditório apático, mas os programas de ambos acontecem fora dele. Seja na rua, seja em outro estúdio. Não são programas de auditório. Abraço! www.tele-visao.com

    ResponderExcluir
  5. Verdade não tinha pensado nisso...Esqueceu de citar um programa maravilhoso que interage com auditório, programa do Ratinho kkk já fui varias vezes e é maravilhoso.
    Que Deus cuide de nos e cure esta nação!!!
    Fabio deixa eu te perguntar voce tem canal no youtube?

    ResponderExcluir
  6. https://gibrealityalternativo.blogspot.com/2020/03/gib-03x30-o-show-de-maysa.html?m=1

    ResponderExcluir