Páginas

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Luis Roberto chama atenção na Copa 2018



Olá, internautas

Nestes dois dias, alguns telespectadores sentiram a síndrome da abstinência da Copa na Rússia. O Mundial 2018 deu uma pausa para o início das quartas de final.

A TV Globo reina soberana na transmissão. Sozinha na TV aberta, colhe ótimos frutos nos índices de audiência. Jogos do Brasil atingem picos na casa dos 60 pontos. Impressionante.

Quatros locutores se revezam na cobertura. Galvão Bueno é o responsável por transmitir os jogos que envolvem a seleção brasileira. A emissora platinada poderia ceder o espaço mais nobre do Mundial a outros profissionais, principalmente Cleber Machado que há três décadas trabalha no canal.  

Neste Mundial, Gustavo Villani conquistou seu espaço nas transmissões da TV Globo. Ele tinha narrado um jogo do Corinthians contra o Bahia em partida válida pelo Campeonato Brasileiro.  O locutor é egresso do FoxSports. Bom locutor. Narra de forma elegante.

O mesmo não ocorre com Luis Roberto. O locutor resolveu apostar em um estilo mais histriônico durante as transmissões. No confronto entre Alemanha e Suécia, com o gol da vitória alemã marcado no último minuto, o narrador berrou. Comemorou. “Sabe de quem? De um craque chamado Toni Kroos, camisa 8, é o nome da emoção”, esbravejou.

Ao lado de Luis Roberto, a TV Globo escalou Roger Flores, ex-jogador que conquistou expressiva rejeição entre muitos torcedores (e até no meio futebolístico com a alcunha Chinelinho). Ele ficou com a vaga de Juninho Pernambuco que não trabalha mais no Grupo Globo. Troca complicada.

Alguns telespectadores adoram o estilo mais “emocionante” de Luis Roberto. Já outros consideram excessivo o tom adotado nas transmissões da Copa 2018. De um lado ou de outro, o locutor roubou a cena. Para o bem ou para o mal. Na minha humilde opinião, é preciso diminuir o tom. O locutor não pode se destacar mais que o jogo...

Fabio Maksymczuk

8 comentários:

  1. Eu acho que a Copa de 2018 deve ser a última com o Galvão narrando jogos da seleção. Tem de abrir espaço para novos talentos e o Gustavo Villani tem tudo pra ser a nova voz dos jogos do Brasil no futuro, pois provou isso narrando para os cinemas. O Luís Roberto exagera mas tem bordões que caem na boca do povo como "esses negros maravilhosos" se referindo ao time da França e na hoa do gol, o sabe de quem?, bordão que foi criado na inesquecível Olimpíada do Brasil para o Wallace, também conhecido como Macho Alfa segundo Rômulo Mendonça nas partidas de vôlei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luis Roberto precisa acertar o tom mesmo dentro desse estilo...Abs

      Excluir
  2. Oi Fabio, tudo bem? Concordo com você. Locutor não é animador de auditório. Galvão já peca com este entusiasmo, e agora Luis Roberto segue na mesma cartilha. Complicado. Abraço! www.tele-visao.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o sucessor legítimo da escola Galvão Bueno... Abs

      Excluir
  3. Foi ele que passou mal depois de um jogo ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Ele teve pressão alta após o jogo Suécia x Inglaterra...

      Excluir
  4. E que fiasco foi o último jogo do Brasil . E tudo aquilo que falam de Nrymar ? Cadê ??/E, locutor não é mesmo animador de auditório . Menos é sempre mais > Abraços .

    ResponderExcluir