Páginas

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Falta de transparência compromete final do "MasterChef – A Revanche"


Olá, internautas

Nesta terça-feira (17/12), Vitor Bourguignon consagrou-se como o grande vencedor do “MasterChef – A Revanche”. Zebra. O curitibano não era apontado como um dos favoritos. Estefano Zaquini, que tinha a torcida de grande parte do público, ficou em segundo lugar. A apresentadora Ana Paula Padrão revelou que Vitor ganhou a disputa por apenas um ponto.

Eis que retornou o “pesadelo” da primeira temporada da versão profissionais. As notas de Henrique Fogaça, Paola Carosella e Erick Jacquin não foram reveladas. A falta de transparência comprometeu a grande final. O semblante entristecido do trio de jurados chamou a atenção do telespectador. Nenhum deles passou vibração com a vitória do paranaense.

O trio criticou o prato principal e a sobremesa de Vitor. Já Estefano ficou atrás, principalmente, na entrada. Qual foi a diferenças das notas? Acesso negado.

Como já era previsto, “MasterChef – A Revanche” não explodiu nos índices de audiência em seu retorno para as noites das terças-feiras. Além do próprio desgaste do formato com duas edições em um mesmo ano, o talent show enfrentava diretamente “A Fazenda 11”. Público semelhante.

Por isso mesmo, “MasterChef – A Revanche” deveria ter continuado nas noites de domingo. Fugia da concorrência do reality da Record TV. Porém, a Band exibe atualmente os jogos da NBA nesta faixa horária.

O talent show acertou ao resgatar ex-participantes. As mulheres decepcionaram. Katleen foi a que chegou mais longe com a quinta colocação. Os recém-egressos da sexta temporada versão amadores, Haila e Helton, foram eliminados precocemente.  

Fernando Cavinato continua o mesmo “atrapalhado” e querido pelo telespectador. Já Fernando Kawasaki, conhecido por Fernando Bracho, permanece com o temperamento forte. Sabrina Kanai enfatizou que seria uma nova mulher, mas continuou a passar insegurança na competição.

Desta vez, a disputa focou no enfrentamento culinário. O “mimimi” e o “disse-me-disse” ficaram em segundo plano. Apesar disso, a edição não passou o robusto crescimento profissional de Vitor Bourguignon. Estefano, sim.

Fabio Maksymczuk

5 comentários:

  1. Olá, Fábio!
    Tudo bem?

    Eu não assisti essa temporada, o MasterChef já está ficando cansativo.

    Feliz Natal!🎄
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deveria passar o ano todo e alem do mais as outras emissoras tb resolveram apostar e nisso enfim ...overdose não terá mais torcida

      Excluir
    2. Andréa, realmente o formato enfrenta desgaste. bjs

      Excluir